quinta-feira, 11 de julho de 2013

A força da palavra...

"Podem fechar a Assembleia, que não faz falta nenhuma neste momento!"
Ana Avoila, hoje, no exterior do Parlamento

"O Parlamento está infestado de deputados que são verdadeiros charlatães!"
Mário Nogueira, idem, ibidem

"O discurso do Presidente da República veio instaurar o caos"
António Lobo Xavier

HSC

18 comentários:

João Eduardo disse...

O que se passou na AR era escusado, é o reflexo da fraca qualidade dos agentes políticos.

Mar Arável disse...

No ciclo das marés

as pontes deitam-se
por sobre os rios

até ao mar desgrenhado

carolina disse...

A simone de beauvoir, foi ontem enxovalhada, por um dos representantes da democracia é tempo de levarmos isto mais a sério porque ao longe espreita o perigo

Luisa disse...

Subscrevo o que afirmou Lobo Xavier. O resto, nem comento.
Cumprimentos,
Luísa Moreira

HOPE disse...

"Palavras para quê,são artistas portugueses"
Porque será que hj ao assistir ao debate do estado da nação,ou continuando a assistir,eu cada vez mais me convenço que cair o governo não é solução.Quando o Dr Seguro(Inseguro)que diz ir fazer tudo para ajudar o País a que haja consenso,a primeira coisa que faz,é começar o discurso,atacando os protagonistas,do que aconteceu na ultima semana.
Querem andar para a frente mas só falam do passado,quem vive de passado é museu...
Já não há paciência para tão pouca inteligência,incompetência e insegurança.Como posso eu acreditar num governo,que se avizinhava se fossemos a eleições,governado por um partido,que o seu líder não oferece a ninguém segurança?
Mas lamentavelmente,um dia isso vai acontecer
cumprimentos
Fátima Duarte

Virginia disse...

Não concordo com nenhum. Discursos radicais não vêm ajudar nada, só deitam achas na fogueira.

Anónimo disse...

Subscrevo Lobo Xavier.
Quanto à citação que a 2ª Figura do Estado fez de Simone de Beauvoir, para criticar os manifestantes, foi absolutamente inqualificável.
E perdeu ali uma boa ocasião para os chamar à atenção, com autoridade democrática.
Entretanto, conviria perceber, politicamente, porque é que este tipo de manifestaçãos começa a ser recorrente.
A imagem deste Governo está de tal forma desgastada que provoca estes estados de alma?
P.Rufino

Anónimo disse...

Felizmente, a educação não se compra... e tudo começa e acaba aí. Bendita Mãe que tais filhos teve e, com os valores da família, próxima e antiga, educou. Grande intervenção a do seu filho Paulo, em termos de valores e de sentido de Estado, para não falar da bela língua portuguesa (transmitida pelos pais e não pela escola), no encerramento do debate na Ar.
Sem comentários o facto de a televisão que nós contribuintes pagamos transmitir apenas uns segundos...
Votos de boa saúde!

Anónimo disse...

É preciso cuidado com a língua, sobretudo daqueles que estão nas chefias...Há outras formas de dizer as coisas!

paula disse...

Valores. Crise de valores. E de tudo o resto...

antónio m p disse...

É assim o preconceito ou o snobismo: a mais óbvia das verdades, mesmo aquelas que nós próprios dizemos muitas vezes, torna-se odiosa quando é pronunciada por aqueles que elegemos para nossos adversários. No caso, falo de comentários e não da transcrição simples das frases sem juízos de valor.

Eu recomendaria a leitura de "Os Santos Vão Para o Inferno", de Gilbert Cesbron. Mas que o título, ao menos, lhes dê uma ajuda.

Dalma disse...

Que bom estar longe das notícias, logo dessas tiradas "políticas"! Pena é que daqui a uma semana aí esteja e como tal não poder furtar- me a ouvi-las!

zia disse...

Depois do que se passou durante a semana passada o presidente acorda muito tarde e atua deacordo e em sintonia com o que se tinha passado, foi muito tarde, estão todos a brincar com o fogo, e daqui para a ditadura pouco falta!...
Tudo se resolve mas a que preço????
Um feliz fim de semana,
lb/zia

Teresa Peralta disse...

A constatação de António Lobo Xavier não é inédita. Na verdade, não acredito que alguém estivesse à espera de tal resolução presidencial. No entanto, o "caos" apesar de inevitável pode ter as suas compensações... A tentativa do Presidente da Republica não é de todo descabida, pois, o compromisso desta difícil Salvação Nacional deve ter a responsabilização do Partido Socialista que, não só contribuiu para o enorme descalabro das contas, como deu o seu aval ao programa de ajustamento. Se querem negociações, auxiliem na sua melhoria, e, com criatividade... E, se mesmo assim, tudo isto falhar, o maior partido da oposição terá como prémio, sem apelo nem agravo, a enorme baixa de reputação, pois os portugueses não são parvos e percebem que o patriotismo não se resume, apenas, a “fome de poder” através de eleições antecipadas.

Um enorme abraço para si com votos de que a sua saúde esteja restabelecida.

Anónimo disse...

. Grande intervenção a do seu filho Paulo, em termos de valores e de sentido de Estado, para não falar...

Anónimo, deixe esta grande mulher e mãe de fora...que não tem culpa por um filho Sem Valores e Sem Sentido de Estado nenhum!!!!

Jorge Pires

António Henriques disse...

Força da Palavra ...

O que eu teria feito talvez...

Mandava sair os manifestantes aos sem ser aos berros como já tinha feito no passado...

Ao plenário teria dito com um sorriso bonito:
"O contrario do amor não é o ódio mas sim a indiferença"

Elie Wiesel um judeu sobrevivente dos campos de concentração nazistas, que recebeu o Nobel da Paz ...

Afinal Somos Todos Parlamento!!!

António Henriques disse...

Não me esqueço das palavras...

Madrugada de 25 de Abril de 74, parada da Escola Prática de Cavalaria, em Santarém:
Meus senhores, como todos sabem, há diversas modalidades de Estado.
Os estados sociais, os corporativos e o estado a que chegámos.
Ora, nesta noite solene, vamos acabar com o estado a que chegámos!
De maneira que, quem quiser vir comigo, vamos para Lisboa e acabamos com isto.
Quem for voluntário, sai e forma. Quem não quiser sair, fica aqui!

Todos os 240 homens que ouviram estas palavras, ditas da forma serena mas firme,
tão característica de Salgueiro Maia, formaram de imediato à sua frente.
Depois seguiram para Lisboa e marcharam sobre a ditadura

António Henriques disse...

Só Mais estas palavras ...

“Sonhamos? Não sonhamos nada, somos mesmo os únicos realistas deste filme”

Miguel Portas

Um beijo Helena ...