quarta-feira, 22 de maio de 2013

Há famílias de bom senso...

Só hoje soube que António Passos Coelho, pai do PM, teria afirmado que "nunca gostámos que ele fosse para onde foi, porque a ideia cá em casa, na família, é que isto não tem conserto. Há muitos anos, não é de agora", e que ousara mesmo dizer ao filho: "isto não tem conserto, entrega isto".
O alívio que senti foi enorme, ao confirmar que a lucidez dos progenitores não termina com a idade. Nem o amor pelos seus descendentes. Finalmente, um pai dizia ao filho algo semelhante ao que eu própria já dissera ao meu. E também ele, como eu - se estiver viva -, daremos uma festa de arromba quando tais funções acabarem. 
Com efeito, só quem tem familiares muito próximos no governo - qualquer que ele seja - é que pode avaliar o que passam pais, filhos e irmãos. Com a agravante, no meu caso, de "odiar" a política, que só é "nobre função" no pensamento de filósofos.
Lembro Hollande, homem normal como ele próprio se definiu, e vejo o que num ano  lhe aconteceu. Entrou a todo o gaz e, em pouco tempo, as decisões políticas que tomou transformaram-se num verdadeiro ziguezague de avanços e recuos, com a inevitável  e merecida queda de popularidade. Que arrastou, claro, a subida da direita mais radical.
Possivelmente, só Seguro deseja mais do que eu e António Passos Coelho, o fim de tudo isto. Falando, é evidente, daqueles a quem se costuma incluir no "arco da governação". 
Pelo menos, agora já não me sinto tão solitária ao confirmar ainda existem famílias cujo bom senso não fica afectado pelo poder..

HSC.

18 comentários:

zia disse...

Deve ser agradável saber de histórias idênticas!
Hoje via na SIC e não gostei, está com aspecto muito cansado. Take Care!
Um abraço,
lb/zia

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Zia
Estou mesmo muito cansada. Do trabalho que tem sido imenso e do momento que atravessamos, que não poupa ninguém.

Vânia Batista disse...

Também a vi, querida doutora Helena. Confesso que não notei o seu cansaço mas acredito que ande cansada. E ainda falta a apresentação do mais recente livro. Dia 28, não é?
Descanse neste fim-de-semana.

Um beijinho
Vânia

P.S. : Quanto ao bom senso, os filhos nunca ouvem os pais... ou raramente isso acontece. ;)

Paula Ferrinho disse...

Será viva, certamente e fará essa festa de arromba com toda a alegria que lhe é característica. Os Pais são sempre sábios, mesmo que os filhos só vejam isso muitos anos depois, ou mesmo que vão vendo sempre e não o admitam!!
Um beijinho blogosférico!

Virginia disse...


Tão depressa nos orgulhamos dos nós filhos como sofremos com as suas decisões. Mas eles são maiores e vacinados e é de louvar que às vezes escolham as mais difíceis e aquelas que todos criticam, mas que ninguém ousa escolher.

Muita coragem! E que a festa venha só daqui a mais algum tempo para bem do país!

Acredito que vamos conseguir.

Bjinho

antónio m p disse...

Estimada Helena Sacadura Cabral: venho juntar o meu testemunho ao seu e ao de António Passos Coelho. Eu próprio, cuja proximidade ao Poder resulta de ser filho de Deus, estou farto de Lhe dizer: - já andas hà dois mil anos a proclamar a paz e o amor e olha o resultado...

Anónimo disse...

Olá D. Helena,

também senti uma certa compaixão quando ouvi e vi o Pai do nosso Primeiro Ministro a falar daquele modo da função e dos deveres do filho.

O problema nem deve ser ter de ouvir e aceitar as opiniões contrárias e opostas à posição que um filho, um companheiro, um amigo nosso ocupa, o problema deve ser mesmo o modo e a forma que essas opiniões assumem e aqui, creio eu, leva-nos para o seu post do outro dia sobre a "liberdade de expressão".

Ninguém gosta de ouvir falar mal dos seus e isso todos compreendem. E, quando digo falar mal, digo, fazê-lo de forma insultuosa, frequentemente mentirosa, desrespeitosa para o próprio e para os seus mais próximos.

Uma coisa é estar em desacordo, outra é desdenhar, insultar e maldizer pelo prazer de destruir ou simplesmente porque os outros o fazem e "eu", porque "também quero ser diferente", vou atrás!

Cumprimentos,
Cláudia

rmg disse...


Pois os filhos nunca ouvem os pais ,sempre foi e será assim .
Às vezes , poucas , fazem bem .

Quanto a Seguro possívelmente desejar com tanta força isso também não augura nada de bom ...

RuiMg

P.S. - Temos que descansar vai não volta senão deixamos de ser úteis, a nós próprios e aos outros .

Maria Júlia Sobrinho disse...

Olá Dra. Helena: e quando os filhos e familiares se metem na política e parece que levam uma vacina que os imuniza de todos, nem sempre de tudo, que não querem gastar as suas energias e competências a não ser na política?
Basta lermos os artigos do Independente...o que todas as suas opiniões o forçaram a ser coerente com as suas opiniões...para sua amargura.
Não é para a desmoralizar, mas não vai ter festa de arromba!
abraço da Júlia

Anónimo disse...

E tudo uma grande mentira pois quando o filho entrou p o governo fizeram uma grande festa no Caramulo!

Anónimo disse...

O desconserto ou desconchavo é muito fundo.
Deixo aqui um vÍdeo sobre a água.

A ÁGUA É UM DIREITO HUMANO COMO DECLARARAM AS NAÇÕES UNIDAS OU UM NEGÓCIO MILIONÁRIO

Os próprios alemães nos alertam.

www.youtube.com/watch?v=I5X9ioO9x9A

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 19:05
Não sei a que festa se refere. Mas minha não foi, com certeza, porque nunca estive no Caramulo, nem lá tenho família próxima.

Helena Sacadura Cabral disse...

Anónimo das 19:35
Embora a questão da água não seja abordada neste post, o seu v´deo só poderá esclarecer aqueles que falem alemão o que, infelizmente, não é o meu caso.

Anónimo disse...

Em tempos, já tinha lido uma frase do pai do PM reveladora de grande lucidez... Se certos filhos ouvissem mais os conselhos dos pais talvez isto andasse melhor.

Mas, desta vez, o pai do PM fez-me lembrar que, possivelmente, estamos a chegar ao fim de um ciclo... É que da última vez que um familiar veio a público falar do "parente no governo" não deu bom resultado - a minha lembrança foi o tio do "Zézito"!

Isabel BP

Anónimo disse...

Peço desculpa se o escândalo da ÁGUA lhe pareceu intrusivo neste seu post, mas tinha acabado de ver o vídeo que me escandalizou.
Enquadrei-o na ideia de que isto não tem conserto mas admito que pode parecer forçado.
Ser político ou ter alguém na política, sobretudo para quem detesta, é cada vez mais complexo, além de pouco apreciado.Podemos ver neste neste vídeo como se tecem as linhas de forças na UE.

Se lhe interessa ver o vídeo, existem legendas em português, clicando em CC no canto inferior direito do vídeo para ativar as legendas.

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Anónimo das 11:35
Agora agradeço, sim. Mal ouvi o alemão nem cuidei de ver se poderia haver legendas...
Por isso aqui estou a dar a mão à palmatória. E intrusivo não foi. Caso fosse, não publicava.
Mas águas em alemão derrotaram-me!

patricio branco disse...

e estes episódios, por vezes, não serão encenados? desconfio bem que sim...

Luisa disse...

Peço a Deus que, neste assunto, a não oiça! Mal de nós se este governo desistir... Seguro? Só com prefixo faria (algum) sentido: - InSeguro!

Luísa Moreira
portugalagoia.blogspot.com