quinta-feira, 16 de maio de 2013

Em nome do Pai



Começo por fazer uma declaração de interesses: gosto muito de Nuno Lobo Antunes. É difícil explicar porquê, uma vez que não convivemos muito. Eu diria que assim como no amor, também na amizade, existem coups de foudre. É o caso. E posso confessa-lo porque gosto muito da sua Mulher.
Há uma serenidade e uma doçura neste pediatra que se ocupa de crianças com graves problemas de saúde que me cativa profundamente. É um inspirador de bondade se é que entendem.
Foi hoje lançado o seu primeiro romance "Em Nome do Pai" que é um livro sobre o amor e sobre o ciúme e que se serve das personagens bíblicas para iluminar José, o Pai de Jesus, que nesta sua obra tem um papel principal. É também um curioso olhar sobre a paternidade e as formas que ela reveste. Trata-se de um livro de alguém que não sendo crente se interroga e nos interroga sobre quem é essa personagem a quem chamamos Deus.
A obra teve um apresentador cristão - Marcelo Rebelo de Sousa - e um apresentador que me pareceu se assumir como não o sendo - Rui Ramos -, o que, por si só, já diz muito sobre a sua grande qualidade. Os quais cumpriram, indubitavelmente, de forma brilhante, o seu papel.
Mas, para mim que já estou no fim do livro, o que de facto surpreende são as 234 paginas deste romance. Escritas num português magnífico, contam-nos uma história que nos confronta com os outros e também com os nossos vários "eus". A não perder!

HSC

5 comentários:

Paula Ferrinho disse...

Vou reter o título... a não perder, mesmo!!!
Tive oportunidade de o ouvir "ao vivo" uma vez, numa palestra e gostei bastante... achei-o eloquente, muito competente e, sobretudo, falando com ALMA, como algumas outras pessoas que agora "conheço" (lembra-se de um dos meus últimos comentários?). Quando é assim, quando o que se diz vem "de dentro", a atenção prende-se sempre mais e a mensagem passa de outra forma, seguramente...
Beijinhos, Helena!

Faty Laouini disse...

Era só para dizer que a vi hoje no Portugal no Coração, coisa rara porque chego sempre tarde e só vejo Panda, e que adorei. A mousse, omg, adoro e devia estar uma delícia. Ri-me consigo, admiro e gosto da sua "independência, alegria e força". :) Palavras que subscrevo, ainda que vista de longe. E o humor, que benção! :) Beijinho do norte

Virginia disse...

Li o "Sinto Muito" há anos e gostei bastante. Aliás, conheci bem a família Lobo Antunes quando era adolescente. Eram todos bonitos e inteligentes:)
Vou ler este livro. Espero gostar.

Obrigada pelo conselho.

Bjinho

Fatyly disse...

Quando o oiço falar na tv... paro sempre para o escutar e só conheço pessoalmente um dos seus irmãos...igualmente competentíssimo na sua área...mas todos eles com a mesma doçura que não é mais do que herdaram do berço, julgo eu de que...

Só sedas disse...

Estou desejosa de lhe deitar a mão. Adoro o Nuno Lobo Antunes, é um prazer mergulhar nos livros dele.