quinta-feira, 11 de abril de 2013

A todo o tempo, é tempo...


Gonçalo Ribeiro Telles recebeu, aos noventa anos, o Prémio Sir Geoffrey Jellicoe, considerado o Nobel da Arquitectura Paisagista.
A distinção representa, segundo a Associação Portuguesa dos Arquitectos Paisagistas (APAP), "a maior honra que a Federação Internacional dos Arquitectos Paisagistas (IFLA) pode conceder" e reconhece não só uma obra como as contribuições que, ao longo da vida deste homem, tiveram um enorme e duradoiro impacto no bem-estar da sociedade e do ambiente, ao mesmo tempo que contribuíram para a promoção da Arquitectura Paisagista.
Ribeiro Telles “defendeu sempre que o destino de Portugal em busca de um novo enquadramento estratégico na Europa dependia da nossa ligação ao território”. De facto, o nosso poder negocial seria hoje completamente diferente se tivéssemos a capacidade de sustentar o país, visto que um dos problemas centrais da crise que vivemos tem muito a ver com a insustentabilidade de recursos.
Mas não olhando, sequer, para este problema e sendo até um pouco mais egoísta, quem como eu, gosta da terra e da forma como ela pode ser embelezada, em especial com jardins e espaços verdes, vê esta nomeação com grande alegria e um imenso orgulho.

HSC

10 comentários:

Teresa disse...

FElizmente que o recebeu em vida!!!

Anónimo disse...

Prémio mais que merecido.
Lembro-me bem das vezes em que apareceu na televisão nos ano 70 a defender aquilo de que ainda mais ninguém falava nem defendia.
Foi a par de um meu Professor de Ciências da Natureza, o Dr. Mário Sá Dos Santos, quem despertou em mim a consciencialização para a ecologia.
Ainda bem que lhe foi atribuido este prémio e que o pode desfrutar em vida e com lucidez.
Um bem haja a este grande senhor.
Anabela S. R.

João Menéres disse...

E de Portugal o que recebeu ?

Teresa Peralta disse...


Reconhecimento merecido à pessoa, à sua actividade, e, aos seus conceitos urbanísticos.
Que pena não terem levado mais em conta as suas advertências, em relação à sustentabilidade de recursos territoriais.
Boa Noite, outra vez, com um abraço

zia disse...

Que optimo ter comentado o prémio que o arquiteto Gonçalo Ribeiro Telles recebeu!
Grande homem que só agora aos 90 anos e do outro lado do mundo foi reconhecido; tanta obra realizou na terra que tanto ama e que apesar da situação actual em que está, ele ainda consegue acreditar que tudo irá ser melhor!
Obrigada a si que lhe deu voz,
lb/Zia

Amarilia disse...

Muito merecido. Também o corredor verde de Lx está lindo foi um sonho do Arqtºfinalmente realizado.
Fiquei contente por ele e por ser português.
Um homem que deu há terra outra beleza.

Isto e aquilo disse...

Também me parece motivo de alegria que o seu valor seja finalmente reconhecido, de acordo com aquela velha máxima de que "vale mais tarde que nunca", mas pegando no que diz João Meneres é lamentável que não o tenha sido (também) em Portugal.

Um beijinho
Isabel Mouzinho

Anónimo disse...

Um prémio absolutamente merecido!.
E ainda bem que tenha sido reconhecido em vida. Um português
com muito valor e de quem nos
devemos orgulhar.
M.Júlia

Anónimo disse...

Um grande PORTUGUES! Que pena este prémio só agora ter chegado. PARABENS para o Arq. Ribeiro Teles

patricio branco disse...

grande português, um senhor...