sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Só contas de diminuir...

Eu gostava de ser inteligente. Até agora, agradecia ao Altíssimo os dons que Ele me havia concedido. E aos meus queridos Pais e a mim própria o esforço que havíamos feito nesse sentido.
Pois bem, estava errada. Acredito que não seja estúpida - seria desastroso chegar a essa conclusão nesta idade -, mas não sou tão inteligente como pensava. Pus o patamar muito elevado e agora, catrapus, caí na realidade.
Qual realidade perguntarão os que me lêem? A do Dr. Vitor Gaspar, pois então. Quem mais havia de ser? Explico-me.
Quando recebi o documento relativo à pensão do Banco de Portugal, de Janeiro, não quis olhar para ele. Pareceu-me ter mais rúbricas do lado do débito, mas morreram-me nesse mês vários amigos e eu "dei-me" um tempo de serenidade. Mas Gasparito não mo deu, essa é que é essa.
De facto, quando hoje recebi uma carta da Segurança Social, dei um pulo. O choque foi tal que reuni, num ápice, os papeis todos - são poucos, infelizmente -, com a estranha sensação de que fora tributada duas vezes, uma em sede do Banco e outra em sede da chamada Solidariedade Nacional.
Passei a tarde inteira de uma sexta feira chuvosa, a refazer cálculos. Nenhum batia certo com o que me haviam tirado. Como não fui aluna do Ministro das Finanças, cuja capacidade previsiva é muito pior do que a minha, tive que chegar à trágica conclusão de que, só sendo mesmo muito inteligente, é que os nossos cálculos coincidiriam. Ora como tal não aconteceu, não só fiquei sem o dinheiro, como vi substancialmente reduzida a minha massa cinzenta, ou, pelo menos, aquela que eu julgava ter.
Conclusão, nestes tempos perigosos, nunca mais me vou "dar" um tempo, porque, se o fizer, já sei o que acontece: vão-me ao bolso! 

HSC

9 comentários:

miminhos cruzados disse...

Por essas e por outras é que eu não acho grande piada à Matemática: as contas nunca batem certo com as dos professores!

Talvez lhe tenha acontecido o mesmo. Porém, atenção que já houve casos em que quem tinha razão era eu e os professores tiveram que corrigir a falha deles.

Um beijinho e bom fim-de-semana
Vânia

Fatyly disse...

Fez-me sorrir e eu também ando à nora com uma diferença de 4,20€(que para mim é muito) para além do que me deveriam retirar e não consigo perceber de onde vem o "gamanço":)
Arrumei a papelada, o Diário da República com as tabelas e artigos dos artigos e pensei logo o Gasparito deve ter pensado que ninguém faria contas e como tal deu ordens para que todos levassem com menos um bocadinho aplicando o artigo, desculpe o provérbio: "grão a grão enche a galinha o papo"!

zia disse...

Não devia ter dúvidas sobre a sua inteligência, ela é grande!
A comparação que faz é que parece de que por momentos desligou os fusíveis... Por favor, o país já entendeu a esperteza do seu ministro das finanças!
A forma como nos roubam mensalmente é de uma subtileza avassaladora, mas não é inteligente, mas sim de uma "esperteza saloia" a qual não pode ser entendida uma vez que assenta em princípios obscuros e obtusos e ... por aí fora, numa palavra ele é um GATUNO!
Tive também um pequeno susto, só descontos eram aí uns 6...
Não gaste a sua linda inteligência, poupe-se pois ainda virá mais!
Um forte abraço,
lb/zia

Anónimo disse...

Este Gaspar envelheceu 500 anos desde que anda a engendrar como ir ao bolso dos portugueses e as olheiras já chegam quase ao queixo!!!

Isabel BP

P.S. Cara Helena, nem digo o que senti quando vi o recibo deste mês!

Anónimo disse...

Este tipo de calculo existe em Portugal muito antes do Gaspar e da crise.
O meu pai, por ex, nos anos oitenta recebeu uma carta dessas com juros e multa acrescentados. Ele que tinha os impostos sempre em dia tinha tentado, anos antes!,pelo menos umas quatro ou cinco vezes pagar mas fora-lhe dito que como eram contas de antes do 25 de Abril havia uma amnistia.

António Pedro Pereira disse...

Caríssima Helena:
Desvantagens de quem não recebe 170 mil euros de pensão (mais um avião particular às ordens, um carro e motorista).
Nesses casos, as calculadoras das Finanças não suportam tantos zeros e recusam-se a fazer os descontos extraordinários.
Só descontam sobre uma pequena parte das pensões, aquela parte que tem poucos zeros.
A senhora tem 2 desvantagens, não recebe aquela pipa de massa por mês e o valor da sua pensão cabe dentro da calculadora.

Anónimo disse...

Cara Colega: aconteceu-me o mesmo.A nossa "Velha" Escola do Quelhas ensinou-nos muito mal... Existem umas "escolinhas" que resumenm a economia a uma folha de excel e a uns modelos e "prontos" como agora se diz com uns resultados brilhantes.Mesmo regressando á aritmética da nossa primária: somar, subtrair, dividir e multiplicar não consigo chegar a conclusão nenhuma para saber, de facto,QUAL É A MINHA PENSÃO. Não sou muito de blogues e quejandos mas a minha filha Joana tanto me falou em si que...me vai ter que me aturar carlos matos

rmg disse...


A carta da Segurança Social explica com detalhe o mecanismo de cálculo da CES tal como vem na lei mas depois acaba de modo desnecessàriamente simplificado , induzindo fácilmente em confusão os interessados .

Seria muito mais simples para todos que , escrito o parágrafo que começa em “Assim ,
na sua pensão do mês …” e que apresenta o valor bruto descontado em Fevereiro (já com duodécimos) , viesse então o valor-base bruto da pensão em vigor , o respectivo duodécimo e o corte mensal bruto relativo à CES para este ano , que incide sobre o valor-base e o duodécimo .
E noutro parágrafo uma linha a dizer que não tendo sido feito o abatimento de Janeiro nessa altura (pelas razões que se sabem) agora foi feito pelo valor a dobrar .

Tal como está , mesmo com o asterisco do “Incluí valor de 01/2013” , tira muito sentido à última frase antes dos cumprimentos .

De resto já há duas semanas que fiz as contas aos “líquidos” que tinha a fazer , tanto com a calculadora como com os simuladores existentes aí pela net , os números batem certos , tão certos que acabei a fazer esses cálculos também para vários familiares e amigos .

Claro que sobre o tema há muitas mais considerações a fazer – e de diversas índoles.
Mas não vou por aí , o desabafo nem me resolve o problema nem o alivia , defeito meu .

RuiMG

Silenciosamente ouvindo... disse...

Eu ainda estou pior que a Drª. Helena,não recebi carta nenhuma
da Segurança Social e mandei um
email, que obviamente não teve
resposta.
Assim "raparam o que quiseram"
e eu não sei de qualquer conta,
sei apenas o que recebi.
Não me lembro de no tempo do
Salazar as coisas serem assim...
mas ele era fascista, e o actual
Governo diz ser democrata, é
capaz de ser isso, em democracia
não se explica/retira-se...
Bj.
Irene Alves