sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Lapidar as palavras

Uma leitora deste blogue, com quinze anos, deixou um comentário perguntando-me se poderia mandar-me coisas que escrevera para eu lhe dar a minha opinião.
Fico sempre muito emocionada quando tal acontece. Primeiro, porque se trata de uma jovem que me lê e gosta do que eu escrevo. Depois, porque no caso vertente, a minha leitora me enviou poesia inspirada, reveladora de uma cabeça arrumada e de um coração que vibra. 
Não toquei nos versos mas, ponto por ponto, disse-lhe o que me parecia que ela deveria ter em conta no futuro. E perguntei-lhe por prosa. Que ela me enviou. Igualmente boa. Aqui ousei o que faço com os alunos de Escrita Criativa e usei a técnica do espelho. Ou seja, escrever por cima do texto de outra pessoa. 
O que fica já não é da autora inicial nem da avaliadora. É, quando muito, o chamado texto modelar. Que lhe enviei para que ela pudesse "sentir" outro pulsar. No fundo, limitei-me a lapidar um diamante que já tinha as arestas bem marcadas e a torna-las mais reflectoras da própria luz.
Quando penso que uma jovem como esta me lê e me confia algo pessoalíssimo como é a sua escrita, sinto-me compensada de todas as crises que possam existir no país e acredito que, talvez, o mundo que lhes deixamos não seja tão mau como parece! 

HSC

19 comentários:

Isto e aquilo disse...

Muito bonito o seu post, que me fez lembrar esta canção que tomo aliberdade de lhe enviar:
http://www.youtube.com/watch?v=ysrldj0GqjA
Bom fim de semana

Um beijinho
Isabel Mouzinho

Anónimo disse...

Querida Drª Helena que maravilhosa que é! Tem sido sempre uma lapiadoura de diamantes!!
Muitos beijinhos,
lb/zia

Teresa Peralta disse...


É mesmo muito gratificante! São essas evidências que nos fazem acreditar que vale a pena todos os esforços... Não há crise que resista !!

Um Jeito Manso disse...

Muito bonito esse seu carinho e atenção pelos mais novos, em particular por esta menina. Ela não o esquecerá pela vida fora, estou certa.

São gestos assim que marcam a vida dos outros.

Grande Helena!

Já agora, já que aqui estou, desejo-lhe um belo sábado (apesar da invernia). Um abraço.



Anónimo disse...

Os desgovernantes que governam o País é que são maus, porque ele é bom tem todas as potencialidades, os jovens são bons e fortes e com a sua ajuda havemos de vencer.
Obrigado.

Anónimo disse...

Quando uma jovem de 15 anos,toma a iniciativa de lhe fazer êsses pedidos, já diz muito de si. Numa altura em que a juventude tem outros objetivos, com "casa dos segredos" e afins... isso é de realçar! Tenhamos esperança!

patricio branco disse...

bonita expressão essa de lapidar as palavras.
e essa jovem, com a vontade que tem de escrever e criar, sem duvidas que merece ser apoiada, os textos que enviou pelos vistos mostram talento promissor.
pena não podermos ler o original em bruto e o texto depois de lapidado!!

Hélia Cruz disse...

Cara Helena,
Parabéns pela sua escrita que é tão estimulante para todos as idades,tendo um prazer especial quando toca à nossa juventude. Repetindo-me um pouco, considero que faz uma doação de saber e experiência admirável,isto é, dar sem pedir nada em troca, em regra o retorno é muito gratificante o que é muito raro na nossa sociedade.
sempre com amizade.

Anónimo disse...

Que belo Post, este seu!
P.Rufino

Francisca Oliveira Martins disse...

Um conto infantil? Será que estaria disponível para o criticar? Infelizmente poucas são, de entre os muitos que o fazem, os autores a quem reconheço mérito em Portugal para editar um livro, sendo que é de louvar e destacar a sua obra. Contudo, para quem não sabe como se fazer ouvir por escrito, torna-se difícil saber qual o valor ou desvalor da criação que tem em mãos. Será que me podia ajudar? Posso enviar-lhe um pequeno conto?


Desde já grata pela atenção e desculpando-me pela ousadia

Os melhores cumprimentos

Francisca

Anónimo disse...

Cara Helena,

Numa altura de crise de valores, deparamo-nos com jovens muito bem formados e que nos fazem ter esperança no futuro.

Não sou mãe, mas conheço jovens que dava gosto tê-los como filhos.

Isabel BP

P.S. Concordo com o(a) Anónimo(a) das 12:14... nem todos podem representar o triste exemplo daqueles que estão na "Casa dos Segredos".

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um momento bonito para si que
bem merece. A permuta de confiança.
Um beijinho
Irene Alves

miminhos cruzados disse...

Não me espanta totalmente, por dois motivos:

> ainda acredito na juventude e sei que há jovens adolescentes que felizmente sabem bem o que querem e que querem o melhor.

> é um gosto lê-la em qualquer idade, Drª Helena.

Um abraço e bom fim-de-semana,
Vânia

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Francisca
Mande -me o seu mail que não publicarei. depois escrevo-lhe e a Francisca manda-me o seu conto.
Foi assim que fiz com a CS- Há um dia na semana que dedico só a mim, que é a sexta feira, dado que por norma trabalho ou sábado ou Domingo. Tentarei ser breve.
E não peça desculpa pela ousadia. Quando era mais nova foi o Mário Castrim que me incentivou. O que lhe devo...

Anónimo disse...

Maria (publicamente anónima)
Drª Helena! Simplesmente maravilhoso!
A senhora é maravilhosa tanto na escrita (o modo como brinca com as palavras) que é um prazer ler. Adorei a frase “lapidar as palavras”, como na acção de ajudar, ensinar.
Que bom haver jovens assim e encontrarem pessoas disponíveis e bem preparados como a senhora para ajudar. É bom manter estes valores. No meio de tantas desgraças que nos contam todos os dias e de uma sociedade, de algum modo anémica, é bom ler os seus textos, tem sempre uma coisa boa para nos contar. Ficamos a pensar que talvez a nossa sociedade não esteja assim tão doente.
Bem aja pela sua disponibilidade, que é certamente útil, e por partilhar connosco estas maravilhas.
Estou grata e sempre pronta a aprender.
Beijinho
Maria M

Isabel Seixas disse...

Como Patricio Branco gostei tanto do titulo do post , ainda mais do conteúdo, parabéns por realmente usar os seus talentos como interajuda.

Agradeço também a isto e aquilo a sugestão da canção de Luis Represas, linda, O luis é fascinante a "lapidar" as palavras com a sua voz única,conferindo-lhes uma intensidade capaz de fazer sentir a mais fria pedra.
Bom Domingo

Anónimo disse...

Histórias tão felizes que comovem.

Maria Helena

Ana Oliveira disse...

mto bom!!! texto fantastico

Ana Oliveira disse...

texto fantastico!!!