domingo, 6 de janeiro de 2013

Egoista

Sou uma leitora fiel da revista Egoista desde que ela nasceu. Sou amiga e admiradora da Patrícia Reis que lhe dava conteúdo. Estimo Mário Assis Ferreira que a ajudou a criar e com quem cheguei a trabalhar.
Acabo de saber que ela morre após cinquenta números sempre deslumbrantes e únicos no panorama cultural português. A sociedade Estoril Sol irá perder Assis Ferreira e fechar a torneira que tornava possível este mecenato cultural, apesar dos Casinos continuarem a dar lucro.
Lamento a decisão tomada. Lamento, mais ainda, a perda de trabalho de profissionais como a Patricia. Para não falar da pena que tenho de não voltar a ver uma revista a que me aficionei. 

HSC

8 comentários:

Manuel Tomaz disse...

Uma perda importante, pois é uma excelente revista, embora não se encontrasse à venda nos circuitos normais da venda de outras publicações. É pena que tenha acabado.

Um Jeito Manso disse...

Bem que a Patrícia Reis tem mostrado a sua preocupação e desânimo no blogue.

Tenho muita pena que a Egoísta acabe e imagino bem a enorme preocupação os que lá trabalhavam. Que tempos estes!

TEDxCascais disse...

Cara Helena Sacadura Cabral
Muito boa tarde,

Somos da organização das conferências TEDxCascais e gastaríamos de lhe fazer um convite. Caso julgue oportuno agradecemos que nos remeta o seu endereço de e-mail para geral@tedxcascais.com

www.tedxcascais.com
www.ted.com

Blondewithaphd disse...

e eu que vou arguir uma tese precisamente sobre esta revista para a semana. No mínimo: irónico! E triste.

Anónimo disse...

...e assim, pouco a pouco vão acabando com a cultura neste país, nivelando tudo pelo mediocre.

Embora não fosse leitora assidua, comprava a Egoista várias vezes e tinha leitura, boa e variada leitura, para algum tempo.

Os bons profissionais terão sempre o seu lugar.

Maria de Sousa Pinto disse...

Infelizmente não conhecia a revista, porém lamento mais uma machadada na nossa tão maltratada esfera cultural...
Aproveito para desejar à Helena um ano de 2013 com muita saúde para si e seus entes queridos e muitas alegrias!

Faty Laouini disse...

Lamentável... como tudo o que é bom quando chega ao fim... Ainda por cima, a Patrícia Reis escreve lindamente e parece ser uma querida de primeira, "warm", sem preconceitos e muito à frente. :)

Fatyly disse...

Acaba o que é bom e fica o que não presta.