sábado, 1 de dezembro de 2012

Liberdade

Para mim, hoje é e será sempre um dia para comemorar a liberdade. Aquela de sermos capazes de nos guiar pela nossa cabeça sem tutelas de ninguém que não sejamos nós próprios.
Voltamos a ter necessidade de recuperar essa liberdade!

HSC

10 comentários:

José Manuel Correia disse...

Helena,
Muito a propósito disto, não quer publicar no seu blog a brilhante crónica desta semana do Dr. Bagão Felix no Publico?
Um grande abraço,
José Manuel Correia

Gaivota Maria disse...

Curtas mas directas. Obrigada

Hélia Cruz disse...

Cara Helena,

O 1º de Dezembro, é um feriado que jamais deveria ter sido retirado, por tudo o que representa para os portugueses. Espero que num futuro próximo, este feriado seja reposto de novo.Ele foi introduzido no início da República. Se eu não estou em erro até Almeida Garret o defendeu durante a Monarquia para que este dia fosse considerado feriado.Sempre com amizade.

Fatyly disse...

Tal e qual!

Isto e aquilo disse...

Sem dúvida, Helena!

Bom fim de semana e um beijinho
Isabel Mouzinho

Anónimo disse...

viva a liberdade!!! hoje e sempre, de poder pensar livre, sem amarras, nem limites.
sabemos o que é estar amordaçados, agora não podemos deixar que nos calem! apesar de já ter um preço a expressão dessa liberdade...
mantenhamos a mente aberta e livre!
um forte abraço,
lb/zia

Isto e aquilo disse...

Não vi ontem em directo, mas pude assistir hoje pela internet à sua entrevista de ontem na RTP.
Magnífica com sempre! Ouvi-la é um prazer imenso.
Beijinho ;)

Anónimo disse...

Tenhamos esperança. Ainda vamos recuperar este dia, 1º de Dezembro, como Feriado. Assim como o 5 de Outubro.
P.Rufino

Maria disse...

Minha Querida Drª Helena,
Assino por baixo.
Um abraço
Maria

Anónimo disse...

Muito bem este comentário sobre o 1º. de Dezembro! Certamente, uma parte significativa da classe política não deve ter tido oportunidade para pensar sobre o significado da data. Também haverá os que entenderão que já não tem sentido celebrar a independência e a identidade nacionais, pois imaginam, possivelmente de modo inofensivo, que na Europa de hoje já não tem sentido tal conceito de independência nacional. Cuidado! Renegar a família não parece um acto saudável. Naturalmente, não se deve procurar inimigos nos vizinhos próximos ou mais longínquos. Mas convém que cada um preserve a "casa" onde onde nasceu e não deixe criar vazios que possam vir a ser ocupados por estranhos. Celebrar o 1º. de Dezembro é, e deverá continuar a ser, celebrar uma festa da Família Portuguesa, que, mercê de um grupo de ciadadãos, recuperou o seu espaço na História, em 1640. Não se trata de celebrar uma vitória sobre outro País, com o qual, desde então, temos tido uma relação normal, adulta e fraterna.
José Honorato Ferreira