segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Multiculturalismo

O vídeo foi "roubado" à Laura Ramos do Delito de Opinião. Mas a tolerância, a compreensão, a aceitação, a empatia, essas são  nossas e, confesso, algo difíceis nestas circunstâncias...

HSC

8 comentários:

Anónimo disse...

é preciso ser tolerante..., mas meu Deus? aceitemos as diferenças...?
um grande abraço,
lb/zia

Vânia Batista disse...

Eu acho um bocadinho estranho... mas, também, ninguém é obrigado a ir à missa do padre José Pinto.

Pessoalmente, não gosto mas respeito.

Anónimo disse...

hahahahahahaa só me dá para rir!!
é assim que querem credibilidade??

Ana Isabel

avoluisa disse...

Eu sou de Cristo!!! vou á igreija...mas cada um reza como gosta,como pode,como quer ,desde que não interfira...o padre José Pinto responderá por ele.

Anónimo disse...

Como na vida pode haver na Igreja momentos diferentes que exprimam diferentes sentimentos- de compaixão, de tristeza, de dor, de alegria, de celebração da vida.

Porque é que a Igreja (Católica) tem de ser tétrica?!
MM

Anónimo disse...

Até ver este video pensava que era "modernaço" e de espirito aberto para tudo ... afinal, deve ser da idade, sou um produto do meu tempo e espirito aberto para "quase" tudo ...

Nuno 371111

Anónimo disse...

Mais divertido do que o padre irado da minha paroquia que passava a vida a falar sobre pecados e estadias eternas no Inferno.

Anónimo disse...

Bom dia

A Igreja Católica não é tétrica e a religião católica muito menos.

Também não é uma instituição isenta e idónea como se esperaria que fosse, mas é capaz de ser uma das mais saudáveis que por este mundo anda!

Quanto mais não seja é constituída por pessoas e está tudo dito ...

Creio que a sua tentativa de proximidade às pessoas é evidente e parece-me que, finalmente, "alguém" lá dentro achou que chegou o momento de começar a pôr os monstros cá fora e fazê-los enfrentar a justiça pelos crimes cometidos.

Pessoalmente, não iria apreciar muito este género de missa. Uma vez, vá lá, é diferente, por sistema, não!

A tolerância, a vida e a cor ou amor podem estar presentes nos discursos e nos actos dos seus representantes sem recorrer necessariamente a uma manisfestação tão exuberante.

Pronto, mas se a intenção era apenas chamar a atenção, então o objectivo foi alcançado. Acho eu ...

Cumprimentos,
Cláudia