terça-feira, 23 de outubro de 2012

Movimento Nacional de Escutas

Quem escuta, escuta o quê e para quê? Para provar o quê?
Em Portugal gostamos muito de escutar e apanhamos sempre nessas escutas, alguém que não era suposto ser escutado. Serão os aparelhos usados que não têm qualidade? Serão os operacionais que se enganam nas cavilhas e ouvem quem não devia ser ouvido?
E como é que depois se sabe quem foi escutado, se a escuta é confidencial e tem de ser autorizada por um juiz? Será assim tão difícil saber quem "divulgou" as escutas ou será que estas foram feitas para serem divulgadas?
Parece estranho mas diria que ser escutado é já, hoje, em Portugal, um simbolo de estatuto social. E aqueles que não são objecto dessa enorme manifestação de importância, têm o direito de se sentirem discriminados.
Sugiro, assim, que se crie o MNE, Movimento Nacional de Escutas, que reivindique e garanta o direito fundamental a ser escutado.

HSC  

8 comentários:

Fenix disse...

"...que se crie o MNE, Movimento Nacional de Escutas, que reivindique e garanta o direito fundamental a ser escutado."

Nas democracias é suposto que este direito já exista e funcione. O que um povo em democracia mais deseja é ser escutado e que se aja em conformidade, o que infelizmente não acontece.

Quanto às outras escutas, lá diz o provérbio: "Quem não deve não teme"! ou "Quem tem Amigos não morre na cadeia" (ou nem sequer lá entra), digo eu!

Maria disse...

Assim sendo, eu sinto-me descriminadíssima. Como à luz da constituição todos temos direitos iguais, também exijo ser escutada. Boa ideia a criação do MNE (rsrs).

Carmen

Anónimo disse...

Drª HSC

Propunha outra sigla, para evitar confusões com a orgânica ministrial e com organizações juvenis:

CUSCOS - COMANDO UNITÁRIO de SÁFIOS COSCUVILHEIROS e OBSERVADORES SAIÕES.

Nuno 361111

Silenciosamente ouvindo... disse...

Então junto-me a si a exigir esse
Movimento Nacional de Escutas.
Bj.
Irene Alves

Vânia Edite Batista disse...

Gostei da sugestão.

:)

Anónimo disse...

"escutas" só me relembra o antigamente em que até ao telefone tinhas que ter cuidado com o que se dizia..., será que até nisso já voltámos atrás? o meu sentido de humor anda mesmo por baixo!
um forte abraço,
lb/zia

Anónimo disse...

Olá!

Eu nem em casa sou escutada, quanto mais no país!

Haja bom humor. Mas tem razão, esta das escutas parece a história do "papão", é que ainda por cima, por mais vil e comprovativa que seja a conversa, no final, não serve para nada, porque é ilegal! Então porque é que gastam o dinheiro dos contribuintes nestas charadas?!

:-)
Cláudia

Raúl Mesquita disse...

Cara Helena:

Parece-me uma invasão de privacidade, uma táctica ditatorial. Não hesito em voltar a dizer que já não se vive em democracia (em lado nenhum). Há tempos circulou um "cartoon" na Internet onde se lia mais ou menos isto: "O Governo invade a sua liberdade para a sua protecção!"

E o terrorismo tem as costas muuuito largas e grande parte da população é muuuito estúpida. Mais uma vez, elitista, mas longe da realidade?

Um beijinho,

Raúl.