quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Até sempre Miguel

Hoje passaram seis meses sobre a morte do meu filho Miguel. Seis meses que terão sido dos piores que enfrentei na minha vida e onde a angústia só não foi o pão de cada dia, porque transporto em mim uma fé que me segura.
Hoje, finalmente, pude mandar dizer uma missa em sua intenção, onde estava a família e aqueles que me estimam. E que o estimaram. Foi numa pequena capela, celebrada por um dos padres que mais admiro, Tolentino de Mendonça, que fez uma homilia sobre o amor, baseada num texto que o Miguel havia escrito. Tratou-se de uma belíssima partitura de divino e de profano, cujos braços se entrelaçavam.
Esperei cento e oitenta dias para poder, em tranquilidade, pedir pela paz de um filho que partiu cedo demais. E comoveu-me muito ver vários bloquistas acederem ao meu pedido para lá estarem comigo. Hoje vou poder dormir com alguma serenidade!

HSC

56 comentários:

Observador disse...

Estimada Helena

O Miguel merecia, sempre mereceu, a nossa atenção.
Tenho a certeza de que 6 meses depois se poderia imaginar um sorriso nos lábios de Miguel.

Não soube dessa iniciativa. E tive pena.

Que o seu espírito continue cheio de Luz.

Cumprimentos

Breakfast in Bed disse...

Um abraço sentido e muita força para cada dia.
porque em momentos assim não há muito mais a dizer ... de mãe para mãe, com respeito pela sua dor

Alcipe disse...

Estamos consigo

Isto e aquilo disse...

Um abraço muito apertadinho!!!
Isabel Mouzinho

Tété disse...

Ele está em paz e livre dos sofrimentos terrenos. Até a mim me toca tudo o que lhe diz respeito, por isso e porque sou mãe como entendo o que lhe vai na alma querida Helena.
Tenho o privilégio de conhecer o padre Tolentino e sei como ficamos presos às suas homilias - a pessoa certa para recordar o Miguel.
Um abraço de amizade
Teresa

Anónimo disse...

minha muito querida senhora drª helena sacadura cabral, hoje já fazem 6 meses de ausência do seu muitíssimo querido filho miguel, como penso entender de só agora conseguir celebrar uma missa para ele.
não consigo imaginar a tão enorme dor que a tem roído e paralisado.
que o Senhor lhe conceda a Sua Paz a ele, miguel, e a si a tranquilidade do sentir perto de si...
todo o carinho,
lb/zia

Maria disse...

Um beijo cheio de ternura.

Anónimo disse...

Querida amiga Helena,
Bela a celebração que dedicaste ao teu filho Miguel. A Fé está para além do que a maioria de nós, humanos, conseguimos abarcar. A Esperança de que falou hoje, também, o celebrante, ajuda-nos a entender o que nos transcende. Nunca tinha pensado na palavra INEXTRICÁVEL... Como andamos distraídos na vida! Abençoada a Fé que te acompanha. Procura conservá-la, porque é um dom de que não somos proprietários. Graças pela tua coragem, bem patente na leitura que fizeste. Obrigado pelo teu exemplo e testemunho!
José Honorato Ferreira

Ailime disse...

Dra. Helena Sacadura Cabral,
Deixo-lhe um abraço de solidariedade!O seu filho vai ser sempre estimado e lembrado por todos.
Tenha um noite tranquila.

Lara disse...

Ja algum tempo que não vinha fazer uma visita ao blogue e hoje obriguei-me a vir. E quando acabei de ler o que escreveu, fiquei sem palavras e sem saber o que dizer,mas fiquei muito mais serena.
Onde o Miguel estiver estará a olhar por todos.

Beijinhos Helena

Vânia Edite Batista disse...

Drª Helena, minha querida drª Helena, que belo texto o seu!

É evidente para quem a vê ou lê que é uma mulher de Deus, uma pessoa que está de bem consigo mesma e que recebe o que lhe Deus lhe envia de braços abertos, só por isso consegue ser assim: maravilhosamente cativante!

E vem-me a propósito, novamente, o meu querido "Principezinho" de Antoine de Saint-Éxupèry: numa conversa com a raposa ela lamentava-se que o principezinho a cativara e agora ele tinha de se ir embora (isto porque o principezinho tinha de ir habitar outro planeta) mas ele, criança que era, via a realidade de um ponto-de-vista e consolou a amiga raposa, dizendo-lhe:

Não fiques triste, vê o meu cabelo é loiro e este campo de trigo é amarelo, e tu nem sequer gostas de trigo, mas vai passar a admirá-lo porque, ao vê-lo, vais te lembrar de mim e dos meus cabelos e sempre que te lembrares de mim, estaremos juntos, porque o essencial é invisível aos olhos, só se vê bem com o coração.

Bem, já juntei nesta frase acima vários excertos da obra mas acho que o parágrafo anterior, tal como está resume os seus últimos 6 meses, qui çá uma despedida entre a senhora e o seu "principezinho" (espero não a magoar com isto) mas é só para me explicar:

Certamente, ao longo destes meses já muitas vezes pressentiu o seu filho (o essencial é invisível aos olhos e o essencial permanece consigo), a raposa não gosta de trigo, mas por amor suportá-lo-á (são as rastas com que o seu neto a surpreendeu).

Um beijinho,
Vânia

Anónimo disse...

Até sempre Miguel! Dra. Helena: que no seu coração de mãe entre a serenidade e a paz.

Marina

Anónimo disse...

Como eu a entendo, Dra Helena!
Um grande abraço.

Anónimo disse...

Um beijo!
FL

Nini disse...

Um abraço muito solidário para si, porque eu gostava muito do Miguel e porque ... para mim, já passaram vinte anos e angústia continua enorme. O meu filho partiu ainda mais cedo! A dor nunca nos deixa, choramos mesmo quando rimos.
Um abraço

Carla Isabel disse...

Olá Helena,

Sempre a admirei. A sua postura, as suas gargalhadas...às vezes ao ouvi-la cheguei a comentar- esta mulher é a loucura em pessoa- no bom sentido, pois claro.
Gosto do seu filho Paulo...partilho dos mesmo ideais politicos, mas também gostava do Miguel, pela postura, pela inteligência, enfim ...
Mas aqui falo na perspetiva de mãe, sou mãe de 4. E quando soube da morte do Miguel, apesar de ter ficado triste, lembro que o que me veio à cabeça foi - Ai aquela mãe!- e se já a admirava, fiquei a admirá-la ainda mais...nao imagino a sua dor, a sua perda, nem quero imagina, nao sei se entende oque quero dizer, mas sei que so uma mulher como a Helena aguenta de pé a uma coisa destas, e escreve textos como este.Eu também acredito em Deus, e de ecrto que o Miguel estará tranquilamente em paz.
Um beijinho Helena.

Carla Isabel disse...

Olá Helena,

Sempre a admirei. A sua postura, as suas gargalhadas...às vezes ao ouvi-la cheguei a comentar- esta mulher é a loucura em pessoa- no bom sentido, pois claro.
Gosto do seu filho Paulo...partilho dos mesmo ideais politicos, mas também gostava do Miguel, pela postura, pela inteligência, enfim ...
Mas aqui falo na perspetiva de mãe, sou mãe de 4. E quando soube da morte do Miguel, apesar de ter ficado triste, lembro que o que me veio à cabeça foi - Ai aquela mãe!- e se já a admirava, fiquei a admirá-la ainda mais...nao imagino a sua dor, a sua perda, nem quero imagina, nao sei se entende oque quero dizer, mas sei que so uma mulher como a Helena aguenta de pé a uma coisa destas, e escreve textos como este.Eu também acredito em Deus, e de ecrto que o Miguel estará tranquilamente em paz.
Um beijinho Helena.

Maria João disse...

De certeza que a "Alma" de um Homem como o seu filho, vai descasar Sempre em Paz.

Um beijinho de alguém que muito a admira,
MJ

António Pedro Pereira disse...

Helena:
Há muitos bloquistas decentes e humanos. Normalmente os delírios que se lhes apontam são de natureza política.
E há muitos de partidos não-bloquistas, os da política «séria», que são uns safados de todo o tamanho.
O mundo é demasiado complexo para o olharmos apenas através de duas lentes, uma escura e outra clara.
O maniqueísmo está ao alcance de um clique para o erradicarmos da nossas vidas quotidianas.
Eu continuo com muitas saudades de ouvir o Miguel na RDP todas as sextas-feiras, ele, sendo um visionário, não era um bloquista delirante.
E quanto às suas qualidades de humanidade nem vale a pena enaltecê-las, neste local poderia parecer lisonja.

Unknown disse...

Cara Helena,

A Amizade, quando verdadeira ultrapassa as crenças, sejam elas quais forem.

Sempre gostei imenso do seu Filho pelo Ser Humano que era.

um beijinho grande de quem também é mãe
Ka

nadiá disse...

Um beijo Drª Helena.
Força e coragem para enfrentar a saudade, que será sempre crescente.

Jose Martins disse...

Miguel Portas, não o conheci pessoalmente, mas deliciaram-me seus relatos, transmitidos pela RTPi, sobre a epopeia Lusa desde a Ilha de Zambibar às Terras de Preste João.
É a rotina da vida uns que nascem e outros que morrem.

TERESA SANTOS disse...

Não tive conhecimento da celebração da missa.

Peço-lhe que acredite que guardo um imenso respeito pela memória do Miguel, que lamento não termos muitos Homens com a sua verticalidade de carácter.

Um abraço sentido.

Anónimo disse...

Tambem pedi, aqui ao longe,pela paz da alma do seu Miguel que foi um grande homem!

Anónimo disse...

Que Deus lhe dê a força necessária para a sua dor,que nenhuma mãe merece sentir,para o Miguel o reposo do amor de Deus até que a Helena o volte a abraçar na eternidade da luz.
Um abraço de muito carinho

Anónimo disse...

Drª HSC,

Um beijo, com todo o carinho,

Nuno 361111

Maria disse...

Helena, Mãe Coragem:
Se tivesse sabido, tinha ido. Pelo Miguel, que admiro,por si, que estimo. Queria abraçá-la, sem palavras.
Talvez agora se sinta mais tranquila.
Olho o sorriso do Miguel e vejo o seu.
Abraço grande
Maria

Anónimo disse...

Tenhamos uma grande fé e esperança de voltarmos a encontrar os que amamos
e já partiram.

sandrine disse...

Beijo do tamanho do mundo!

Silenciosamente ouvindo... disse...

dia 24 de Outubro -6 meses...dias
sofridos, sem dúvida para uma mãe.
Foi bom que tivesse conseguido
pedir essa paz.
Coragem não lhe tem faltado.
Peça a seu outro filho que se
cuide, a política, não merece
tanto desgaste.
Um beijinho
Irene Alves

Isabel Amorim disse...

Muito bonito, querida Helena. Agradeço, do fundo do coração, o seu partilhar com os outros um momento tão pessoal e intímo. Bem-haja.
Abraço sentido,
isabel

MM disse...

Querida Helena,

Há muito que não nos vemos, mas jamais esquecerei da sua amizade e do carinho que sempre teve para comigo, desde que nos conhecemos há alguns anos na Trav. de Santo António. Daí nasceu a minha grande admiração por si,como mulher e como mãe. Não posso nem de longe imaginar a sua dor e o que representa até hoje a partida prematura do Miguel, a falta que ele lhe faz, à família, aos amigos e a Portugal, por todas as qualidades que tinha e que tantas vezes a ouvi descrever quando falava dos filhos com aquele amor desmedido. Complementares nas diferenças, cada um no seu universo, ligados por esta rede de afectos de que a Helena foi sempre a grande tecelã. Quero deixar-lhe aqui o meu profundo respeito e a minha solidariedade num abraço apertado e sentido, com a promessa de o dar pessoalmente na minha próxima visita a Portugal.

Saudades,
Mónica Freitas

Ana Mota Peixoto disse...

Admiro-a muito, assim como continuo a admirar o Miguel. Há pessoas que apesar de não estarem fisicamente presentes, continuam entre nós pela forma como nos marcaram. Saudades

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu caro António P. Pereira
É justamente por eu saber que em todos os partidos há gente muito respeitável que me emocionou ver lá aqueles a quem me dirigi porque os sabia muito ligados ao Miguel. E eles corresponderam apesar de não serem católicos. Jamais o esquecerei. Foi uma lição de fraternidade.
As ideologias contam muito pouco. Quem conta são as pessoas!

MAFRADE disse...

Dra Helena,

Com grande admiração pela MULHER que é, sou sua leitora e tenho-a como referência, até porque somos companheiras do mesmo infortunio. No periodo de 11 meses vi partir dois dos meus amores: marido e filha com 30 anos, ambos vítimas de doença oncológica.

A minha filha, num momento de agravamento da sua doença, com ternura e emoção olhou-me nos olhos e disse: "nenhuma mãe merece passar por isto, muito menos tu minha mãe".....Quanta verdade...

Permita-me enviar-lhe um beijo solidário pois só nós sabemos a dor que nos aperta o coração...dor de mãe supera todas as outras.

MAFRADE

Agulheta disse...

Cara Helena.
O coração de mãe jamais esquece um filho,ele ficará internamente bem junto do peito.Ele está em paz porque era uma alma boa,e ao qual eu tinha grande admiração,ao olhar para esta foto, parece falar com nós tal é a expressão do seu olhar.
Abraço amigo

Maria disse...

Dra. Helena
Aceite um abraço de solidariedade. Perder um filho, deve ser a maior dor do mundo.
Que o seu filho Miguel descanse em Paz.
Obrigada por partilhar connosco a sua emoção.
Que tenha uma noite repousada.

Carmen

Anónimo disse...

Cara Helena,

Só o AMOR de MÃE para escrever palavras tão profundas...

Aceite um afetuoso abraço de muita estima,

Isabel BP

Fatyly disse...

Não consigo conter as lágrimas...a perda de um filho que acredito que está em paz.

Continue a lutar, por si, pelos seus e pelos outros... que era assim que ele queria!

Um beijo sincero

Anónimo disse...

que o miguel continue a olhá-la com este olhar de amor por si!
ele era bonito demais para este mundo!... a mãe tem de continuar para que ninguém o esqueça!
que dor tão grande!
muita força e toda a ternura,
lb/zia

Um Jeito Manso disse...

Helena, Coração Independente,

Fiquei na dúvida se deveria comentar. É algo de tão íntimo e tão doloroso que me parece que quaisquer palavras soarão a coisa à toa.

É dor tão desmedida que nem consigo sequer imaginar, nem quero. Mas a si, Helena, tenho que lhe dizer que só uma mulher muito forte consegue suportar de forma tão estóica uma dor tão grande.

Para si, portanto, um abraço e que lhe sirva de conforto saber que não esquecemos as palavras carregadas de esperança e o sorriso doce do seu menino.

Juca disse...

Helena,
Quem vive por ideais nunca morre.

Georgete disse...

Gostava muito de ter essa fé que a ilumina. Ainda me sinto um pouco zangada com a vida. Ninguém merece uma dor tão grande! Devia ser proibido os filhos partirem antes dos pais. O meu partiu cedo, tinha 30 anos e o sorriso mais maravilhoso que alguma vez vi.
beijinho e obrigada por tudo que partilha, ajuda-me muito, pois sempre a admirei muito.

Helena Oneto disse...

Minha querida Helena,

Foi a melhor prenda que podia ter dado ao seu infante, a si e aos amigos de ambos. A serenidade que trespassa desta linda fotografia, faz-nos bem a todos.
Bem haja, amiga, por ter dado ao mundo um filho como o Miguel.

Maga Abreu disse...

Boa tarde,

Não consigo imaginar a dor que sente.
Não quero nunca passar pela dor que a atormenta (perdoe-me o egoísmo).
Criou filhos fantásticos e tem o carinho de muita gente, como os testemunhos aqui deixados o provam.
Espero que o nosso carinho lhe leve, de alguma forma um pouquinho de calor.

Julia Sobrinho disse...

Dra.Helena, com pena de não ter sabido, mas teria ido de Peniche. Estão comigo em pensamento, votei no seu filho mais pelos ideais que defendia do que pela sigla que representava. Revi com alegria/tristeza a reposição dos programas na TV. O que ele sabia de História, mas sobretudo o que ele sabia e sentia o que era estar neste mundo, diferente da maioria, com um sorriso e doçura que sempre me encantou.Julia Sobrinho

julia sobrinho disse...

Dra. Helena, obrigada por aceitar a minha opinião. Leio-a sempre na Bertrand e as suas opiniões sérias, suavizadas com as suas gargalhadas são um pequeno bálsamo de alegria, em todos estes tempos de incerteza e confusão. Brinda-nos com músicas que aprecio, permita-me, neste momento tão especial que a brinde com a música e o maravilhoso texto da argentina e amerindia Mercedes Sosa, no tema "So le pido a Dios".Para mim é um bom tónico mental em dias não muito bons. Abraço

Dalma disse...

Mas não sentirão todas as mães que vêem partir um filho, a mesma dor da Drª Helena? Realmente só que o filho dela era uma figura pública, daí o envolvimento dos leitores do seu interessante blog!

Hélia Cruz disse...

Cara Helena,

Penso que estando rodeada do carinho e amor de toda a família e amigos ouvindo o texto escrito pelo seu filho e as palavras sábias do Padre Tolentino de Mendonça, poderá suavizar a dor e descobrir novos caminhos para encontrar a paz.

Um abraço,
HBC

Maria disse...

Minha Querida,
O seu filho está bem. Quando olhar para o céu verá mais uma estrela a brilhar: é ele a olhar por si e por toda a família. Ele tinha, ele tem muita luz.
A dor de uma mãe que perde assim um filho tão prematuramente é com certeza das piores que há(nem quero pensar...), mas a sua grandeza, a sua postura e força incrível é um exemplo... Contudo, "a procissão vai por dentro", não é minha querida?
Um beijo muito grande de alguém que a admira muito.
Maria

Leonor disse...

Beijinho, Helena.

Isabel Seixas disse...

Um abraço.

Isabel Marques disse...

Todas as sextas ouvia o Miguel na Antena 1. Um dia destes dei comigo no carro quase a chorar. não o conhecia mas sentia-lhe o carácter, num tempo em que é tão dificil ouvir "politicos". Acho mesmo que estava a fazer um bom trabalho na Europa. Lamento tanto a sua partida. Todas as sextas penso no que ele pensaria sobre o estado actual das coisas. Um abraço à mãe, senhora que tanto admiro e que gostaria de um dia conhecer pessoalmente, é uma lição de vida para muitas mulheres.

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Dra. Helena Sacadura Cabral: há quem pense que o silêncio ajuda a ultrapassar as coisas muito tristes. Não ajuda. É bom lembrá-las, porque quem partiu merece que nos recordemos bem "alto". Um abraço sentido para si.

Anónimo disse...

Cara Helena,

Apesar do Miguel estar ausente está, com certeza, sempre presente ao seu lado com muito amor. Essa é uma certeza. Muita força.

Ana


Anónimo disse...

Um dia será Milagre

http://youtu.be/CgAwCfyYT4w

Ghost