quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A importância de uma vírgula


Vamos sorrir só um bocadinho. Ora leia:


Vírgula pode ser uma pausa... ou não.
Não, espere.
Não espere..

Ela pode sumir com seu dinheiro.
23,4.
2,34.

Pode criar heróis..
Isso só, ele resolve.
Isso só ele resolve.

Ela pode ser a solução.
Vamos perder, nada foi resolvido.
Vamos perder nada, foi resolvido.

A vírgula muda uma opinião.
Não queremos saber.
Não, queremos saber.

A vírgula pode condenar ou salvar.
Não tenha clemência!
Não, tenha clemência!

Uma vírgula muda tudo.

Associação Brasileira de Imprensa: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.



Detalhes Adicionais:

COLOQUE UMA VÍRGULA NA SEGUINTE FRASE:

SE O HOMEM SOUBESSE O VALOR QUE TEM A MULHER ANDARIA DE QUATRO À SUA PROCURA.


* Se você for mulher, certamente colocou a vírgula depois de MULHER...
* Se você for homem, colocou a vírgula depois de TEM...

HSC

17 comentários:

Manuel Tomaz disse...

É verdade, (...) uma vírgula tudo muda!...

Raúl Mesquita disse...

Cara Helena:

Perfeito!

Fez-me lembrar uma aula de Religião e Moral (obrigatória):

-Ressuscitou?
-Não, está aqui!
-Não está aqui…


Viva a pontuação, base da boa escrita!

Raúl

Isto e aquilo disse...

Adoro estas coisas! (É natural, numa professora de português...) E vem muito a propósito!!! Tinhamos estado agora mesmo aqui no gabinete da DREL a falar da importância, ou não, das vírgulas.
A Helena sempre em cima do acontecimento! (mesmo sem o saber...)
Beijinho
Isabel Mouzinho

Silenciosamente ouvindo... disse...

Ao menos fixemos na vírgula ou
sem vírgula para esquecer
"momentaneamente"outras situações.
Bj.
Irene Alves

Vânia Edite Batista disse...

Eu colocaria a vírgula a seguir a MULHER, claro.

Vânia Edite Batista disse...

Este seu post fez-me lembrar uma curiosidade acerca da língua portuguesa.

Apenas a língua portuguesa nos permite escrever isso:

Pedro Paulo Pereira Pinto, pequeno pintor português, pintava portas, paredes, portais. Porém, pediu para parar porque preferiu pintar panfletos. Partindo para Piracicaba, pintou prateleiras para poder progredir.

Posteriormente, partiu para Pirapora. Pernoitando, prosseguiu para Paranavaí, pois pretendia praticar pinturas para pessoas pobres. Porém, pouco praticou, porque Padre Paulo pediu para pintar panelas, porém posteriormente pintou pratos para poder pagar promessas.
Pálido, porém personalizado, preferiu partir para Portugal para pedir permissão para papai para permanecer praticando pinturas, preferindo, portanto, Paris.
Partindo para Paris, passou pelos Pirineus, pois pretendia pintá-los. Pareciam plácidos, porém, pesaroso, percebeu penhascos pedregosos, preferindo pintá-los parcialmente, pois perigosas pedras pareciam precipitar-se principalmente pelo Pico, porque pastores passavam pelas picadas para pedirem pousada, provocando provavelmente pequenas perfurações, pois, pelo passo percorriam, permanentemente, possantes potrancas.
Pisando Paris, pediu permissão para pintar palácios pomposos, procurando pontos pitorescos, pois, para pintar pobreza, precisaria percorrer pontos perigosos, pestilentos, perniciosos, preferindo Pedro Paulo precaver-se.
Profundas privações passou Pedro Paulo. Pensava poder prosseguir pintando, porém, pretas previsões passavam pelo pensamento, provocando profundos pesares, principalmente por pretender partir prontamente para Portugal. Povo previdente! Pensava Pedro Paulo... Preciso partir para Portugal porque pedem para prestigiar patrícios, pintando principais portos portugueses. - Paris! Paris! Proferiu Pedro Paulo.

Parto, porém penso pintá-la permanentemente, pois pretendo progredir. Pisando Portugal, Pedro Paulo procurou pelos pais, porém, papai Procópio partira para Província. Pedindo provisões, partiu prontamente, pois precisava pedir permissão para papai Procópio para prosseguir praticando pinturas.

Profundamente pálido, perfez percurso percorrido pelo pai. Pedindo permissão, penetrou pelo portão principal. Porém, papai Procópio puxando-o pelo pescoço proferiu: Pediste permissão para praticar pintura, porém, praticando, pintas pior. Primo Pinduca pintou perfeitamente prima Petúnia. Porque pintas porcarias? Papai - proferiu Pedro Paulo - pinto porque permitiste, porém, preferindo, poderei procurar profissão própria para poder provar perseverança, pois pretendo permanecer por Portugal.

Pegando Pedro Paulo pelo pulso, penetrou pelo patamar, procurando pelos pertences, partiu prontamente, pois pretendia pôr Pedro Paulo para praticar profissão perfeita: pedreiro! Passando pela ponte precisaram pescar para poderem prosseguir peregrinando.
Primeiro, pegaram peixes pequenos, porém, passando pouco prazo, pegaram pacus, piaparas, pirarucus. Partindo pela picada próxima, pois pretendiam pernoitar pertinho, para procurar primo Péricles primeiro. Pisando por pedras pontudas, papai Procópio procurou Péricles, primo próximo, pedreiro profissional perfeito.
Poucas palavras proferiram, porém prometeu pagar pequena parcela para Péricles profissionalizar Pedro Paulo. Primeiramente Pedro Paulo pegava pedras, porém, Péricles pediu-lhe para pintar prédios, pois precisava pagar pintores práticos. Particularmente Pedro Paulo preferia pintar prédios. Pereceu pintando prédios para Péricles, pois precipitou-se pelas paredes pintadas. Pobre Pedro Paulo pereceu pintando...
Permita-me, pois, pedir perdão pela paciência, pois pretendo parar para pensar... Para parar preciso pensar.
Pensei. Portanto, pronto pararei.

___________________________________

Maria disse...

O texto (muito bom) serve como ensinamento. Por vezes, esquece-se as regras da pontuação.

Carmen

Anónimo disse...

Adorei,
como uma virgula, muda tuda tudo.

Obrigada, D. Helena, o seu blog é fantástico.

MArgarida Damas

Paulo Abreu e Lima disse...

Helena,

Ou sou mulher, o que vai contra todas as evidências; ou muito inteligente, o que pressupõe muita água benta.

Fatyly disse...

Realmente é verdade!

Anónimo disse...

muito boa a vírgula, mas há que a saber utilizar.
o exercício é o máximo! óptimo para os dois sexo.
a língua portuguesa é muito traiçoeira...
todo o carinho,
lb/zia

Hélia Cruz disse...


Cara Helena,

Sem dúvida uma vírgula pode fazer a diferença num parecer jurídico, na interpretação de uma lei ou noutras situações tão brilhantemente mencionadas neste seu post.
Despeço-me com amizade.
HBC

Anónimo disse...

Muito bom!!!

FL

Vânia Edite Batista disse...

Prezada Portuguesa:

Pontuação, pode parecer pretexto pouco pertinente para palestras. Porém, promove prazenteiras prosas, pontos pintados perante penunbra politicamente previsivel.

Prossiga postando porque promove-nos prazer, pois preleccionar predestinados postagens proporciona pertinentes pensamentos.

Pilar (pseudónimo)
__________________________________

Claro que o texto acima, querida Dª Helena é uma brincadeira consigo: a quem muito admiro. Por isso, prossiga postando!

O texto que enviei ontem as 17h51 foi me enviado por um colega da faculdade, em seguida, como resposta enviei/lhe o que se segue.

Perfeito
Paraste porquê, pá? Pensas permanecer pouco palrador? Porventura pensarás poder perturbar-me, porém palavras perfeitas permanecem perpetuamente.
Palavras, poemas, pintura, partituras, paixões, paz,pássaros, penso poder proferir, principalmente porque propósito pouco penoso, parece-me pertinente para professores pasmados, perplexos. Porém, professores,padres, presbíteros, Papa, pedreiros, padeiros, pintores, prostitutas (pouco profissional), pedicuro, pefumista, picheleiro, piloto, político, porta-palavra, produtor, provedor, publicitário, paisagista, palhaços profissionais, principalmente, psiquiatras pouco piedosos poderão pensar perniciosamente. Porém, permanece passível. Papa-pintos, pintassilgos, pardais, piriquitos, papagaios, piam primeiramente pois preferem pio primordial. Papoilas, pouco produzidas, pobremente pintadas, penteiam-se pesadamente pois parecem pouco prósperas, pedintes pensam poder parar para pensar porém preferem pedir pólen para poder permanecer providas, pérolas preciosas podem parecer peculiares, possui-as pertinentemente. Parafusos pouco prefuradores poderão precisar paredes plásticas.
Positiva para Português?

Anónimo disse...

Oh !!!

Viciei-me noutro canto.

Sem ,,,,,s

nuno 361111

SV disse...

Como em tudo, as pequenas coisas, é que fazem a diferença ; )

Anónimo disse...

Cara Helena,
Ambas as frases desvalorizam o homem. Ou é ignorante por desvalorizar a mulher ou é ignorante porque desconhece o seu próprio valor. Já se sabía, a vírgula é mulher e pelos vistos tem tendências feministas! :)

HC