sábado, 22 de setembro de 2012

O direito ao delírio

Eu sei que muito possivelmente esta espécie de oração não passará de uma utopia. Mas também sei que se não houver utopia não haverá sonho e este é, sempre, o que comanda a vida!

HSC

13 comentários:

Pedro disse...

É utópico?
Que seja!
Continuarei seguindo o sonho...
Obrigado, Helena.

Breakfast in Bed disse...

Adoro :) Grande pensador. "A utopia serve para caminhar ...."

Absolutamente fantástico

Boa Noite

Tétisq disse...

Uma bela oração!*

Teresa Peralta disse...

Obrigada por esta partilha! Admito que a consciência destes propósitos, de amor, liberdade, igualdade de oportunidades, de justiça ... nos levará a caminhar, rumo àquilo que pensamos ser uma sociedade ideal e perfeita. Gosto em particular do novo mandamento que estava, certamente, na ordem do dia: “Amarás a natureza da qual fazes parte”.
Um Abraço

Vânia Batista disse...

Ai de nós, se não sonharmos!

Quando coerentes e possíveis de realização são os sonhos que definem as metas da nossa vida e se não tivéssemos a capacidade de sonhar e definir objectivos a atingir, de que valeria continuar a caminhar.

Fatyly disse...

Que maravilha e obrigado pela partilha...e jamais alguém ou algo fará com que abra mão dos meus sonhos.

Beijos

Maria disse...

Querida Helena:
Que maravilha este "Direito ao delírio"!
Já procurei outros "Direitos de Galeano". Todos me encantaram.
Agradeço-lhe ter-me "apresentado" este senhor, que só conhecia de vista. Fiquei tão emocionada, mas ao mesmo tempo tão calma! Se ainda existem pessoas assim, o mundo não está perdido.
Gostei da definição de Utopia e concordo que serve para caminhar.
Sorte a nossa, Helena. Ao fim de tantos anos, depois de desgostos, perdas, desilusões, ainda sabemos sonhar!
Abraço sem fim, como o caminho para a Utopia, da
Maria

Anónimo disse...

Já a ouvi dizer que não gosta de intelectuais. Os intelectuais são tão importantes, porque será que existe uma carga tão negativa sobre a palavra intelectual.
Galeano tb não gosta da palavra e assume-se não como intelectual, mas como SENTIPENSANTE. Ah então é isso...

Vânia Edite Batista disse...

Oh!
Ao iniciar a sessão, quando abri o pc vi que tudo tinha ido à vida.

Endereços de e-mail, de facebook, etc..

Perdi também o seguimento dos seus blogues, agora quando clico em "Aderir a este site" não consigo, vamos lá ver o que acontece nos próximos dias porque a mensagem é que o proprietário do site bloqueou a minha adesão e para tentar mais tarde vamos lá ver no que dá.

Se por acaso, não conseguir comentar os seus posts quero que saiba que não deixei de a admirar.

Um beijinho Vânia

Anónimo disse...

ontem não pude ouvir! que maravilha...
a utopia é o que faz com que hoje a vida tenha e continue a ter sentido para ser vivida!
obrigada!
todo o carinho muito amigo sem que me conheça.
lb/z

Isto e aquilo disse...

Muito bonito! Obrigada por no-lo trazer! Precisamos mesmo de coisas assim :)
Beijinho

O Cidadão abt disse...


Eduardo Galeano?

"Vivemos em plena cultura da aparência: o contrato de casamento importa mais que o amor, o funeral mais que o morto, as roupas mais do que o corpo e a missa mais do que Deus..."



http://ocidadaoabt.blogspot.pt/2012/08/os-ninguens.html


Anónimo disse...

Pediram a vários aspirantes a comediantes que caracterizassem Portugal. Um deles muito jovem disse: 'Quando alguém diz a alguém que uma pessoa conhecida morreu num acidente de viação, o último pergunta 'Qual era a marca do carro?'
Nada mais a acrescentar.
MM