terça-feira, 25 de setembro de 2012

A mod(u)elação...



Julgo que todos nós já teremos passado por esperas enervantes, sobretudo se existe alguma má expectativa em relação ao resultado pelo qual se aguarda.
É assim relativamente às classificações dos exames ou dos concursos e mesmo das análises clínicas. É um tempo de desgaste até se saber o que o futuro próximo nos tem reservado.
Pois bem, julgo não errar quando digo que os portugueses estão neste estado crítico de esperar o que nos irá acontecer, seja nos impostos, seja na saúde, seja na educação, seja até numa eventual remodelação governamental.
É verdade que a comunicação social tem uma boa parte de responsabilidade no que estamos a passar. Os jornais e as televisões, na ânsia das audiências ou das vendas, exploram quanto podem o lado negro das notícias. E, se uma pequena elite sabe depurar essa informação, a maioria dos portugueses não está preparada para isso. Assim, adensa-se um clima de ansiedade que desgasta as nossas já depauperadas energias.
A outra parte de responsabilidade compete aos senhores políticos cujo discurso é uma sucessão de versões que um dia apontam num sentido e no outro apontam no contrário.
Agora as palavras chave para a espera, apelidam-se "modulação" ou "modelação", sem que eu consiga perceber o que realmente qualquer delas quer dizer.
Ao menos tenham pena de nós e falem um português que todos possamos entender. Será pedir muito?!

HSC

15 comentários:

Silenciosamente ouvindo... disse...

Drª. Helena tem toda a razão.Porquê
que os actuais governantes falam
palavras cujo significado se
desconhece?E querem fazer de 10 milhões de portugueses burros?Já
não basta o que "nos tiram" ainda
querem que "sejamos burros".Porque
será que não nos respeitam?Já sabemos
que nos querem SUGAR, então escolham
meios simples e de fácil entendimento
e que à partida nós saibamos com o
que contar.
Hoje lembrei-me que tinha que pagar
o IMI, já me ia a passar...e porquê? Porque meu cérebro anda
cansado de tanta confusão...que
não me consigo concentrar nas
coisas que tenho para tratar.
Lembrei-me hoje, ainda falta uns
dias para o prazo terminar, mas
podia não me ter lembrado...Deito-me e acordo cheia de incertezas,
e tenho 66 anos e o meu marido
faz dia 27 70 e trabalhámos ambos
desde quase crianças e agora é para
se viver neste pavor?!!!
Estes nossos políticos no poder e
na oposição CANSAM-NOS...
e o pior é que não vemos ninguém
que venha alterar esta situação.
Ministros capazes, respeitáveis,
que incutam em nós alguma tranqui-
lidade. Eles governariam e dariam
a verdade e a segurança minima aos
portugueses. Era isso que eu gostava acontecesse.
Estou FARTA!!!
Beijinhos e desculpe este desabafo...

Mar Arável disse...

Na verdade

Anónimo disse...

era ótimo que fosse breve este tempo de espera, mas pelo que vai transparecendo será longo, uma vez que a expectativa é grande, maior nos parece a espera.
vão decidindo a conta gotas, será/ai mais fácil (pensam eles...) a aceitação dos factos (impostos e outros, etc...).
a meu ver era bom que esta espera fosse aumentando proporcionalmente o descontentamento.
beijinhos cheios de ternura,
lb/z

Alcipe disse...

Também há os que falam por fabulas...

a) Alcipe

Maria disse...

Dra.Helena

Estamos de facto num impasse. São muitas as palavras, mas estas são tão contraditórias que me causam irritação e preocupação.Li que a China se prepara para lançar uma nova moeda internacional para afundar o dólar e o euro. Será mesmo? Estes lideres europeus deixam muito a desejar.Temos o dever de estarmos informados, mas a informação tem de ser correcta, dada num portugues entendivel e que nos dê alguma esperança num futuro melhor.

Cumprimentos.

Maria disse...

Não seria pedir muito, se a maioria dos políticos falasse português decente.
Assim... É exigir o impossível.
Maria

José María Souza Costa disse...

Admiravel, Dra. Helena Sacadura Cabral.
Um dos verbos, que primeiro os Politicos, aprendem a conjulgar, é o: "Tergiversar", e assim, eles saracuteiam e dissimulam a verborragia. Parabens, pela postagem.
Abraços

Fatyly disse...

Não vejo telejornais por essa razão e felizmente que a minha mãe também já o deixou de fazer...porque é de dar em doidos com tanta (des)informação e agora até os ministros utilizam metáforas que ficamos aparvalhados.

Alguma vez têm ou pensam em nós? Nada como manter um povo com MEDO, INACTIVO E SEM REACÇÃO...ou seja ESTUPIDIFICADO !

Depois dão futebol e lições de psicologia...

A imprensa escrita sempre é mais suave e menos sucinta mas chegámos a um ponto que já nem para o jornal dá...enfim já desisti de os entender...mas jamais baixarei os braços para o que der e vier!

Helena Sacadura Cabral disse...

Alcipe amigo
É verdade. Há os que falam por fábulas e são fabulosos!
Mas a pena, a mim, dá-me para a prosa linear. E muito me contenho eu, pode crer!

Helena Sacadura Cabral disse...

Meu querido Zé Maria
Tinha-me esquecido dessa. Tem toda a razão.
Tergiversar= voltar as costas, usar de subterfúgios, inventar desculpas, hesitar.
Haverá melhor retrato?!

Anónimo disse...

Falam, falam e não os vejo a dizer nada!!!!
Ao falar desse modo, conseguem o que pretendem, baralhar-nos!!!

FL

Isto e aquilo disse...

Tem toda a razão, Helena!
Haja paciência...
Beijinho
Isabel Mouzinho

Blondewithaphd disse...

também ainda não entendi a palavra. Na volta, a única coisa que a austeridade cria é um neologismo que ninguém sabe muito bem como pronunciar ou qual o significado. Enfim, é o que temos.

Anónimo disse...

Sim, esses senhores deviam falar que se entendesse e há outra situação que me tira do sério que é quando, depois de uma qualquer declaração à imprensa, surge o bom do repórter a repetir aquilo que foi dito! Não há pachorra! :))
D.

Ana Timóteo disse...

Por essa razão há menos crise em nossa casa: desde a entrada em vigor da TDT não temos televisão. Numa casa de cinco não é fácil aplicar esta decisão, mas neste momento já nunguém estranha. Para além de a crise não me entrar em casa diariamente, os jantares são bem mais calmos e ninguém se chateia sobre qual o canal!