terça-feira, 17 de julho de 2012

Tarde piaram...


"Nos três países da zona euro com programas suportados por financiamento da União Europeia e do FMI, o ajustamento está a prosseguir, mas a recente deterioração do clima político e económico na Grécia serve de aviso para a possibilidade de se estar a dar início a uma ‘fadiga do ajustamento', o que é uma ameaça à continuidade da implementação dos programas".

O que surpreende é que só agora o FMI tenha acordado para uma realidade destas, para a qual a maioria dos economistas já tinha alertado!
E não se tenha qualquer dúvida de que o risco será ainda maior se eventuais medidas adicionais de austeridade  vierem a ser tomadas pelo lado da receita fiscal, nomeadamente impostos sobre o rendimento, seja de trabalho ou de capital.

HSC

8 comentários:

Imperatriz Sissi disse...

Creio que qualquer dona de casa com a antiga 4º Classe saberá que é impossível estrangular a economia e esperar que as coisas se endireitem...mas preferem acreditar em equações mágicas e fenomenais. Uma coisa é reduzir custos exagerados do Estado e combater a corrupção, outra totalmente diferente é impedir o dinheiro de circular. Just my two cents here, é caso para dizer...

Cupcake disse...

Exma. Senhora
Dra. Helena Sacadura Cabral,

Vimos solicitar a sua colaboração, para participar, com uma entrevista, na revista "SABER E FAZER" da Escola Profissional FORAVE.
A Escola Profissional FORAVE, inserida no Concelho de Vila Nova de Famalicão, forma jovens e adultos desde 1990 e a Revista "SABER & FAZER" é o seu mais antigo meio de comunicação.
Trata-se de uma revista anual com uma tiragem de 1000 exemplares e um dos capítulos destina-se uma entrevista de uma personagem de mérito que se insira na temática de comemoração do ano europeu, este ano dedicado ao envelhecimento ativo.
Muito nos honraria se a Dra. Helena Sacadura Cabral aceitasse o convite para ser a personagem entrevistada da revista da FORAVE, na edição nº 14, a publicar em Julho de 2012.
Caso aceite a nossa proposta, agradecíamos que nos enviasse o seu e-mail para que possamos remeter-lhe as nossas questões.

Na expectativa de seja aceite o nosso convite, agradecemos desde já a atenção que possa dispensar a este assunto.

Atentamente,

Manuela Guimarães | diretora pedagógica FORAVE

Observador disse...

O FMI não acordou só agora.
Tem é andado a 'assobiar ao cochicho'.

Cumprimentos

AL disse...

Será que o FMI, para os devidos efeitos, já ouviu o Bispo da tropa de nome januário? "Et pour cause" só convém que o façam ou antes do almoço ou antes do jantar.

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Dra Manuela
Por favor deixe-me aqui o seu mail e contactos - que, claro, não publicarei - para lhe poder responder.

Maria Filomena disse...

Sra. Helena,
eu acredito que muitas dessas pessoas que estão em postos chaves não servem nem para office boy, quanto mais para tomarem decisões que envolvem centenas e milhares de pessoas...
Já tenho idade suficiente para ter visto muito disso em muitos lugares...
Quanto mais incompetente, mais parece não ser ( à primeira vista)...salvo algumas exceções honrosas..., pois toda regra tem exceção...

abraços de
Maria Filomena

Maria Filomena disse...

Sra. Helena,
eu acredito que muitas dessas pessoas que estão em postos chaves não servem nem para office boy, quanto mais para tomarem decisões que envolvem centenas e milhares de pessoas...
Já tenho idade suficiente para ter visto muito disso em muitos lugares...
Quanto mais incompetente, mais parece não ser ( à primeira vista)...salvo algumas exceções honrosas..., pois toda regra tem exceção...

abraços de
Maria Filomena

Cupcake disse...

Boa tarde Drª Helena! Muito obrigada pela sua disponibilidade. Envio-lhe o meu e-mail e o meu contato telefónico: 968032746; manuela@forave.pt.

Aproveito para lhe colocar já as questões, para que nos possa responder. Se existir algum ponto em que não se sinta confortável ou necessitar de algum esclarecimento, por favor, não hesite em contactar-me.


1. Dra. Helena Sacadura Cabral, o que entende por envelhecimento ativo?
2. A que nos referimos quando falamos em envelhecimento ativo? Envelhecer com qualidade?
3. Que tipo de actividades é que um cidadão aposentado pode desenvolver para se manter ativo?
4. Que tipo de atividades devemos adotar para evitarmos um envelhecimento intelectual e social?
5. Considera que Portugal é um país promotor do envelhecimento ativo? De que forma?
6. Em que medida uma escola, no âmbito da sua ação pode promover o envelhecimento ativo?
7. Que tipo de hábitos saudáveis fazem parte das suas rotinas?
8. Qual o seu segredo para manter a sua capacidade intelectual?
9. Concorda com a expressão: “ Envelhecer bem significa dar mais vida aos anos”?