sexta-feira, 11 de maio de 2012

Bernardo Sassetti


Nem sei que escreva. A foice da morte vem arrasando o nosso país. Hoje foi a vez de Bernardo Sassetti que desaparece com 42 anos, quando tinha ainda muito para entregar ao país no domínio musical.

HSC

22 comentários:

Carlota disse...

Custa sempre saber que as pessoas partem... mas quando vi no jornal o motivo desta morte até tive um arrepio na espinha. Caiu de uma falésia no Guinho.. quee morte!:(

NaRiZiNhO disse...

Um murro no estômago.
Portugal tem ficado mais probre.
não está certo! os bons continuam a morrer.

Brown Eyes disse...

Mais um choque para todos nós; inacreditável!

Anónimo disse...

Dois dos insubstituiveis deste Portugal, em tão pouco tempo. O choque que sinto, prolonga-se. Dois... e únicos.

Von

Anónimo disse...

Sabe Helena...De facto não sabemos os motivos reais, porque sabemos o que nos dizem...Mas eu não estou muito convenciada desta causa. E sabe o que me descança? Pensar que pode ter sido suicídio... Afinal acaba por ser uma escolha e não uma fatalidade, para quem não a quer...não sei...não lido bem com este tema, mas se foi por vontade, foi mellhor do que não ter sido...
Rita

Joana e Sofia disse...

Boa tarde Helena tem razão o nosso país está a ser varrido de gente maravilhosa e que fazem muita falta quer a nível familiar e a nível social.

Beijos
Sofia

Isto e aquilo disse...

Há momentos na vida em que as as palavras não chegam. E então, só o silêncio faz sentido.
Ainda estou em estado de choque com a a notícia que acabo de receber: o Bernardo Sassetti, famoso pelo seu imenso talento, morreu num acidente estúpido, caindo de uma falésia enquanto se entregava a uma das suas paixões para além da música: a fotografia.
Mas o Bernardo que toda a gente conhece e admira, para mim, sempre foi o Bábá. A primeira imagem dele que sempre me vem à cabeça é a daquele menino lindo, loiro e irrequieto que teria cinco ou seis anos e brincava com o Xico, dois ou três anos mais velho, na praia de Santo António, na Caparica, onde os manos mais velhos se juntavam com o seu grupo de amigos adolescentes, do qual eu fazia parte.
Depois o tempo passou, todos crescemos e o Bábá também, e fui assistindo ao seu sucesso e ao merecido reconhecimento público do genial músico que era.
Agora esta inesperada notícia... Esta está a ser uma Primavera muito triste!...

Maria Teresa disse...

Verdade parece que os bons partem cedo...

Pôr do Sol disse...

É verdade, um a um vão-nos deixando.
Ficamos mais pobres a todos os niveis. Os portugueses andam com azar.

Anónimo disse...

Também não sei o que dizer. Estou em estado de choque.
Um beijinho para si
Ana

Livro da Actualidade disse...

Meu deus, sobe da notícia agora, que choque ! A gente boa deste país está a desaparecer !

Benedita disse...

Querida Helena,
Chocada igualmente como todos os portugueses. Tão jovem e cheio de talento!
Pensar que poderá ou não ser acidental ainda mexe mais comigo, pois vivi pessoalmente o suicidio de um irmão e ainda hoje, passados 20 anos, lido mal com isto.
Estou triste, muito triste.
Um abraço
Benedita

Maria disse...

Helena:
Estou a vê-la na TV e a ler o seu post do Bernardo.
Estou triste, muito triste.
Beijinho
Maria

Paula disse...

olá Helena, estou neste preciso momento a ver a entrevista Alta definição, e até me dá arrepios so de ouvir as suas palavras.
estou numa situação delicada mas algumas das minhas perguntas estão a ser respondidas.
Já hà muito tempo que não visitava o seu blog e definitivamente é uma excelente terapia ler as suas palavras.
Considere-se também uma alma inspiradora.
Fique bem dentro do possivel e muito obrigada

Um Jeito Manso disse...

Tristes dias estes, Helena. Queríamo-los connosco, são tão especiais e fazem-nos tanta falta seres assim, especiais.

Vão-se embora e deixam-nos atordoados, sem perceber que se passa com os deuses que nos estão a levar, tão cedo, aqueles que traziam sorrisos, palavras, música aos nossos dias.

Vânia Batista disse...

Ao ler as notícias de hipótese de suicídio lembrei-me de um livro do José Saramago, "As Intermitências da Morte", durante a narrativa a morte fez greve e ninguém morreu e os que queriam morrer tinham de atravessar a fronteira e ir morrer a Espanha. Há tempos ouvi uma entrevista de Pilar Del Río, que dizia que a morte não é nem inteligente, nem compassiva (não coloquei aspas porque já não estou certa de terem sido estas as palavras exactas que usou). Mas de facto, a morte não é minimamente inteligente: leva quem quer ficar e abandona os que querem partir. Haja alguém que lhe mostre que anda confusa, lhe diga que anda a levar as pessoas erradas e a convença a levar quem quer ir e a deixar quem quer cá estar.

Vânia Edite Vieira Barista

Vânia Batista disse...

Sim, Dª Paula (autora do comentário 11 de Maio de 2012 21:36) tem razão.
É uma grande senhora e uma inspiração para os mais jovens.

Com a Dr.ª Helena Sacadura Cabral tenho aprendido que é possível vencer barreiras e chegar mais longe.

Vânia Batista

Ilda Pinto disse...

Drª Helena, apenas para lhe dizer que a aprecio imenso! É uma MULHER que aprecio! Este País está cada vez mais pobre com a partida prematura de tantos com tanto VALOR! Obrigada pelo seu Blogg por ser que é!

Irene Alves disse...

Também estou como a Srª. Nem sei
que escrever. Ficará sempre a
dúvida sobre se foi queda acidental
ou desejada.Há muitos anos vivi
uma situação mtº. complicada com
uma amiga minha que estava passando
férias comigo. Na costa Vicentina
ela junto a um precipício cada vez
se aproximava mais, e eu a pedir-lhe
por tudo que recuaasse.Levou tempo
a fazê-lo, mas eu nunca mais esqueci
o momento terrível que vivi.
Paz à sua alma. Condolências à
Família.
Para si um beijinho
Irene Alves

cycle disse...

Tive tanta pena... fiquei em estado de choque. Admirava a sua entrega à musica.

Helena Oneto disse...

Minha querida Helena,
Quelle hécatombe! Le sort s'acharne sur ce que nous avons de meilleur dans notre pays.
Tanta tristeza, tanta amargura, que os olhos não chegam a secar.

Um grande abraço amigo

Nanda disse...

Uma triste perda! É sempre uma noticia que nunca gostamos de ouvir "morte" seja ela ligada a um membro da nossa família,seja no circulo de amigos, ou seja alguém que conhecemos no mundo do espectáculo é muito triste o que sentimos nessa altura.
Seja onde ele estiver, acredito que estará bem.
Beijinho
Nanda