terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Uma outra crise...

"Eduardo Catroga afirmou hoje que não sabe quanto vai ganhar como presidente do conselho geral e de supervisão da EDP, considerando a polémica em torno da sua remuneração “surrealista” e sem “aderência à realidade”.

O valor que o novo Presidente do Conselho Geral e de Supervisão irá receber foi definido, no ano passado, para o anterior chairman, António de Almeida, mas ainda não é do conhecimento público. 



Contudo, este salário deverá ser alterado em Abril, quando for nomeada a nova Comissão de Vencimentos da eléctrica portuguesa, que terá lugar durante a Assembleia Geral de accionistas que aprovará os resultados de 2011.



A remuneração recebida por António de Almeida em 2010 rondou os 600 mil euros, de acordo com as informações do último relatório e contas publicado pela empresa.

Devo confessar - embora não sejam questões desta natureza que resolvem a crise

 - que este nível de salários, determinado ainda no tempo do anterior governo, me incomoda profundamente. Não por uma questão de inveja, mas por uma questão de pudor!

HSC

3 comentários:

Teresa disse...

Provavelmente, é por essa razão que hoje, todos afirmam que ainda não sabem bem quanto vão ganhar, ou então gaguejam ao dizê-lo. Na situação em que o nosso país se encontra, podem ser "amendoins" no Orçamento de Estado, mas são imorais.

patricio branco disse...

os serviços cobram se, mesmo dentro do mesmo clube nunca são voluntarios nem gratuitos.
mas que serviços? são assim tão valiosos?

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Patrício Branco
Por acaso eu até já trabalhei gratuitamente. Por solidariedade. E julgo que fiz a minha obrigação.
Mas pagar serviços ao preço do referido no post, ultrapassa-me!