quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Um sorriso


Uma pessoa muito querida mimou-me, hoje, com este verso de Eugénio de Andrade, um dos meus poetas preferidos. Aqui fica em partilha com todos os que me lêem. É lindíssimo!

O Sorriso


Creio que foi o sorriso,

o sorriso foi quem abriu a porta.

Era um sorriso com muita luz

lá dentro, apetecia

entrar nele, tirar a roupa, ficar

nu dentro daquele sorriso.

Correr, navegar, morrer naquele sorriso.

Obrigada!

HSC


5 comentários:

Na disse...

Sem dúvida, um dos melhores poetas de sempre.
E este poema é líndissimo na sua simplicidade e verdade!

Raúl Mesquita disse...

Cara Helena:

Pela minha parte, eu é que agradeço. A partilha é sinal de Amizade.

Raúl.

Anónimo disse...

LINDO
Fez o meu sorriso abrir, e tem sido um ato que não tem acontecido muito.
Muito obrigada, por partilhar comigo, este sorriso.
beijo gr
AC

Isabel Seixas disse...

Sem dúvida um grande Poeta e um terno poema.
Felicito-a pelo sentido de oportunidade, atenua o impacto das notícias tristes e faz-nos sentir gente.

Vânia Edite Batista disse...

Este texto de Eugénio de Andrade, fez lembrar-me um texto de um amigo, que serviu de presente no fia em que eu fiz 20 anos.

Um sorriso, custa pouco
mas rende muito.
Não empobrece quem o dá
e enriquece quem o recebe.
Dura um só instante
mas dura na memória, para sempre.
Um sorriso
alivia as dores,
acalma o cansaço
e retempera as forças.
Se pensas que o sorriso
de nada vale para ti,
Sê generoso e dá o teu
Porque ninguém
precisa mais de um sorriso
do que aquele que
não sabe sorrir.

De acrescentar que o referido amigo tem um sorriso encantador, como o da senhora, e como adoro vê-la sorrir, atrevi-me a partilhá-lo.

Um beijinho,
Vânia