terça-feira, 15 de novembro de 2011

Duas notícias...


Duas notícias hoje publicitadas na imprensa e que refiro de seguida são, a meu ver, muito preocupantes.
1. A CDU, partido da chanceler alemã, Angela Merkel, aprovou ontem uma moção que permite a um país abandonar “voluntariamente” o euro sem sair da UE.
A decisão parece trazer água no bico. Apesar de mandar já na Europa, Merkel prefere ter as mãos livres para poder sustentar a saída do seu país da Zona Euro, podendo no entanto continuar na Europa. Ou seja manteria os benefícios, mas recusaria participar dos prejuízos.
Parece assim que apenas está nas mãos de Berlim impedir uma reacção em cadeia que fira duramente o sistema financeiro internacional. Ou, dito de outra forma, as perspectivas de um futuro decente para todos os europeus, e muitos milhões de outros no resto do mundo.
2. A Bolsa de Nova Iorque encerrou em queda, numa manifesta apreensão dos investidores com Itália, tendo o Dow Jones desvalorizado 0,61% e o Nasdaq 0,80%. Afinal, nem a queda de Berlusconi parece ter dado qualquer fôlego aos mercados.
A leitura combinada destas duas notícias não augura nada de positivo e confirma um fenómeno novo que é volatilidade cada vez maior das políticas nacionais...

HSC

25 comentários:

Kiki disse...

Pois... Mas o nosso Misnistro das Finanças ontem disse ao país que a crise ia acabar em 2012... Anedótico de facto!

Raúl Mesquita disse...

Hear hear Helena!

Acabei de ler a notícia e fiquei igualmente preocupado, tendo percebido exactamente o mesmo "innuendo". A Angela Merkel, como no passado referi, não é uma europeísta, mas uma teutónica, "estranhamente" com um penchant para os EUA. Tal como o Durão Barroso é um Presidente da UE com, a meu ver, o mesmo penchant.

Quanto à Bolsa de Nova Iorque… bem, não seria a mudança esperada dos ventos de Itália. O Monti pende para a Esquerda.

O Mundo está mesmo muito mal. Achtung! O Ocidente anda a espicaçar ao extremo o Irão e este país é forte mesmo! Tem armas nucleares. A idade tem me dado alguma sabedoria. "Os aliados" nunca começam guerras para poderem vencê-las, mas sabem porvocá-las com mestria. Corremos o risco de uma guerra nuclear aqui perto, muito em breve, no Médio Oriente.

Raúl.

Raúl Mesquita disse...

ERRATA: … provocá-las.

Paulo de Abreu e Lima disse...

Engraçado, hoje em conversa com um antigo senior consultant de uma grande casa de investimentos americana, ele afirmou que não tem a menor dúvida que há de facto um ataque conjunto dos grandes fundos internacionais (americanos e chineses) ao euro. Detesto teorias conspirativas, mas a verdade é que acabei de ver na Reuters aumentos consideráveis nas yields francesas, belgas e austríacas em todos os prazos... Assistiremos muito em breve ao fim do euro...? Já não sei. Mais: a pergunta já não é um disparate!

Anónimo disse...

"This too shall pass" :-)

Anónimo disse...

Cara Helena
Tenho a mesma imensa admiração e carinho por esse ser…alemão. Valha-nos a sua (da Helena) boa disposição.
Só um burro é que corre riscos, os poderosos querem apenas os dividendos.
Estamos a pagar pelas decisões miseráveis de políticos miseráveis, que nos levaram a esta miséria. Miséria económica e mais grave, espiritual. Deixarmos morrer milhares de crianças de fome por minuto, enquanto se deitam colheitas ao mar para não descer os preços, considerar uma potencia económica a China, que tem milhões de pessoas na pobreza, entre outros exemplos, é o cúmulo da loucura.
Sou alguém que tem uma licenciatura (de uma faculdade de "relevo"), mas com diploma datado num dia de semana. Tenho uma pós-graduação (de uma faculdade de "relevo"), também com diploma datado num dia de semana. Mas, vou ficar por aqui, porque fiquei desempregada e de certeza que os 500€ que terei que pagar para prosseguir para o mestrado, podem ser uma grande diferença entre o meu filho passar fome ou não. O meu marido ganha 1125€, como tal não vai ter subsídios de férias e Natal, para poder compensar a fortuna que ganha mensalmente... Esses 1125€ são para sustentar três pessoas. Mas o merceeiro que fez as contas não contemplou essa situação. E haverá ainda quem tenha o mesmo, ou menos, dinheiro e mais dependentes.
Conseguiram tirar-nos as esperanças, o futuro e as forças. Por mim falo. Sou uma "Dra.", depois de tanto esforço, desempregada. Sou um fardo para o meu marido e para a sociedade. A humilhação de não ter dinheiro para o básico e não poder dar ao meu filho o que achava que iria poder, faz-me amargar todos os dias ter trazido esta criança para este mundo.
Pois bem, às elites que nos governaram, o meu muito obrigado. Em especial à Sra. Merkel por ter visto há muito o que mais ninguém quis ver. De burra não tem nada. E aos nossos governantes por não terem querido ver, porque se venderam a interesses mais altos.
Sinto-me um bote de madeira, com dois remos a subir por um tsunami acima.
A minha vida foi sempre uma luta. Sem pais, formei-me sozinha sempre a trabalhar. Sempre achando que iria ter a recompensa.
Cá estou eu. Sem emprego, sem perspectivas nenhumas e sem dinheiro, porque sempre paguei as minhas contas e cumpri todas as obrigações. Se não o tivesse feito, provavelmente era conselheira de Estado. Não tenho apelido, não tenho cunhas, logo, não sou consultora na PT ou EDP, ou algo do género. No entanto, como eu, estão outros milhares. Mas há uma altura da vida em que temos que parar de lutar contra a corrente. A iluminada, como já me chamaram, perdeu a luz. A luta desgastou-me. Estou morta de cansaço. Mas não vou embora sem explicar ao meu filho que a mãe se rendeu e porquê. Espero que ele e a geração dele, tenham a coragem de pedir contas .O tsunami vai tragar-me mais dia menos dia. Antes a morte que passar a vida a observar impotente ao mundo que nos criaram. Não pense que não lutei e que nao corri sérios riscos. Mas sempre que o fiz, estava sozinha, porque os outros, ficaram na retaguarda, à espera de colher os dividendos...

Raúl Mesquita disse...

ERRATA II:

…a idade tem-me dado...

Anónimo disse...

Eu já tinha aqui, comentado há cerca de 2 meses que a Alemanha já tinha mandado imprimir os novos Marcos e que iria sair do Euro !

É por isso que toda a gente diz que os paises mais frágeis não vão sair do Euro !!! Pois claro !!
Quem vai sair será a Alemanha !

Nós ficamos com o lixo !

A resseção é global, neste momento! Até na china já começaram a despedir pessoas ! Os banco na China dizem para as pessoas comprarem ouro e guardarem para se prepararem para o caos !!

O nosso Presidente é que sonha com o Vasco da Gama e outros herois lusitanos !!! Aquele discurso traduzido com voz para não percebemos aquele Inglês algarvio à moda do Zeze Camarinha fica muito mal !!! eu sei que ste comentário sai fora do politicamente correcto , mas com os diabos , com o tempo que tem podia treinar um pouco e melhorar aquilo um pouquinho !!!

OGman

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Anónima das 18:48
O seu comentário tocou-me profundamente. É um grito de desespero tão profundo que eu só queria poder estar ao pé de si para a abraçar. E para lhe lhe dizer que no dia em que desaparecer vai fazer mais falta ao seu filho do que tudo que lhe pudesse deixar.

Anónimo disse...

Estimada Helena,
Li, com a mesma preocupação o comentário da anónima em desespero de causa. Ao que se está a chegar!Este país, esta Europa estão a caminhar na direcção do abismo. Pergunto-me se quem especula e lucra, a curto prazo, com tudo isto, o que espera vir a receber dentro em breve. Miséria? Os ossos e sangue dos pobres e dos espoliados?
A UE, quer-me parecer, está a revelar-se uma ilusão a prazo. Prazo que talvez esteja a chegar ao seu termo. Foi um sonho vendido por quem hoje se quer ver livre dele e que poderá levar, ao extinguir-se, a uma situação, quem sabe, incontrolável: economica e politica.
Oxalá me engane!
Há 1 ano atrás seria incapaz de tanto pessimismo, hoje...
* Muito pertinente o comentário do ilustre Paulo Abreu Lima (meu caro, como se entra no seu Blogue -nova versão?)
P.Rufino

Mar disse...

Amiga Anonima,
Nao sei o seu nome, tambem isso nao interessa.
Concerteza sou mais velha, tive a sorte de ja ter criado os meus filhos sem grandes dificuldades mas com muito trabalho, e quase ao fim da vida, porque tambem fiquei sem trabalho e sou sozinha, vi-me numa angustiosa situacao de ter de ficar a espera que os meus filhos me sustentassem. Fiquei tolhida, envergonhada, e tal como voce sem accao. Um dia revoltei-me, achei que nao podia ser vencida por meia duzia de capirangas que governam o meu Pais,e, numa semana meti-me num aviao para o desconhecido. Com muitas lagrimas nos olhos despedi-me dos filhos e dos netos e da minha cidade que tanto amo, Lisboa.
Vinha assustada, continuo assustada, faco por nao pensar muito. Trabalho, seja no que for, tao depressa lavo louca como cuido de doentes, nao me importo com isso ee trabalho honesto da para viver e ainda consigo juntar algum dinheiro.Porque a idade nao me vai permitir continuar por muito mais tempo, mais ano menos ano, vou voltar. Mas, entretando, aqui estou, naquilo que puder ajuda-la, conte comigo.Se precisar do meu mail,ee so pedir.
E, acima de tudo na vida, venca-os,nao desista de ser quem ee, e nao abandone o seu filho que ee a sua verdadeira heranca.Honre-o lutando. Chore o que for preciso, mas nao desista. E se quizer juntar-se ao grupo "das faz tudo" ca do sitio,eu ca fico a espera para orientar naquilo que eu puder.
Abraco amigo

Bento disse...

Pois...toda a gente acreditou que os fundos estruturais, o crédito fácil e a moeda única iam durar para sempre...Estou um bocado cansado desta história de que a culpa é dos politicos, tecnocratas e banqueiros. O povo comporta-se como o condómino que se esconde para não ser eleito para a administração, mas depois é o primeiro a chamar a atenção para a avaria do elevador. É a frio e a doer, mas nós só aprendemos assim. Ou por outra... não aprendemos...a avaliar pelos pedidos de aumento de plafond do cartão de crédito para as compras de natal...
Neste momento, os países do sul da europa só prestam serviços e contraem endividamento. Pior! Deixaram de ter dinheiro para pagar! Gostaria de saber quem é que aqui gostaria de ter um hóspede a dormir em casa sem pagar renda e a pedir dinheiro, consecutivamente, ao senhorio para almoçar. Sim, porque nós somos inquilinos desta europa a partir do momento em que alienámos o sector produtivo...

Anónimo disse...

Eu também quero dar uma palavra à anonima 18.48 , de fé na vida para a qual viemos sem pedir nada a ninguém.

O que se aprende nas universidade é aquilo que nos querem impingir para sermos uns servos mansos e parvos !!!

Esqueça o titulo de DRa, licenciaturas e doutoramentos e Mestrados !!!
Agarre-se à vida , olhe à sua volta e agarre um emprego de 500€ , seja ele qual for !

Una-se ao seu marido, tome o pequeno almoço junto com ele e estabeleça uma relação positiva com quem conhece.
Desaconselho, os programas de televisão e as conversas sobre politica !!!!

OGam

Helena Sacadura Cabral disse...

Caros comentadores, sempre fui eurocéptica, mesmo quando as coisas corriam bem. Ou pareciam correr...
Nada do que se está passar me surpreende. O Paulo A. Lima e o P.Rufino traduzem igualmente as minhas apreensões.
Antes, os meus colegas economistas criticavam a minha posição. Hoje dizem-me que eu tinha razão.
E ainda não me pronunciei sobre o que penso dever ser o papel do BCE. Mas hei-de faze-lo.

Paulo de Abreu e Lima disse...

Caro Amigo P.Rufino, é só clicar no meu nome, ou http://assimterraceu.blogspot.com

Caríssima Helena, neste momento aconselho-me sempre com pessoas mais experientes e sabedoras que já passaram por fenómenos que as actuais gerações só sabem dos livros. Tecnicamente, o BCE está falido. A emissão de moeda poderia ser uma saída... olhe, não sei, fico ansiosamente à espera do seu entendimento quanto ao tema. Como alguém disse, "há, sim, uma luz ao fim do túnel, só que é o farol do comboio que vem contra nós"...

Anónimo disse...

Não, Amiga!

Não, não, Amiga!
Dói-nos o caminho,
Que nós caminhamos e eles não …
Não, Amiga, não,
Que isso eles não merecem,
Isso não!

José Rodrigues Dias disse...

Eram fatos escuros …
Era a cebola descascada com choros inocentes,
Que o exterior estaria a apodrecer
E os interiores, do mal, não queriam padecer…
Mas agora, descascada,
Com os interiores exteriores,
Agora que a podridão se sente alargada,
Que a barca toda se vai submergindo
Em ondulares ferozmente crescentes em dores,
Serão os senhores comandantes
(Que comandantes? …)
A saltar da barca
E a barca, de males inundada,
A afundar deixada?
Será assim, comandantes?

Anónimo disse...

À Anónima também quero dizer-lhe para não desistir.
NÃO carago!!! Lave a cara, penteie o cabelo e arregace as mangas . Venha para a rua, procure trabalho mesmo que seja daquele que ninguem quer e que só lhe entregarão os tais 500€ mas não se deixe vencer! Ame o seu filho. Ame muito . Isso dá-nos força. Por eles é cá uma força! que isto não vai com desistencias, vai com força nem que seja á dentada, não quebre. Vá lá junte-se a nós e força! Que posso fazer para ajudar?

Anónimo disse...

Comentando o comentário do Bento ,

De facto você contou a verdade , mas só metade dela !
A outra metade vou eu contar!
Qualquer português que se aventurasse a criar uma industria, produzir alguma coisa que fizesse concorrências aos produtos alemães e franceses era logo bloqueado pela burocracia e pela legislação que foi feita à medida e com esse propósito.
O saber acumulado ao longo de gerações nas industrias do calçado , texteis , vidro , plásticos, metalomecãnica, electromecânica e outras foi tudo destruido pelos subsideos à destruição da capacidade produtiva!
Os agricultores e pescadores foram carinhosamente convidados a abandonarem a actividade em troca de subsideos!!!

Hoje desde um chouriço até a um chinelo , vem tudo de fora!
É por isso que os desempregados não encontram empregos.
Talvés , vocês não se lembram, mas há cerca de 5 anos , as empresas estrangeiras que operavam em Portugal começaram a debandar para outras paragens!! PorquÊ ? Porque tinham centenas de trabalhadores cheios de direitos e um país que complica o máximo possivel a quem trabalha!

Para legalizar uma padaria, por exemplo , você anda enrrolado 5 anos !!!
Conheço um empresario que veio para Portugal investir numa padaria e patelaria de grandes dimensões na zona do ALgarve para fornecer o ALgarve e Andaluzia ocidental. Tinha o terreno cedido pela câmara de Olhão.
Sabe o que aconteceu ?
Perdeu 3 anos em papelada sem fazer um unico papeseco! Desistiu de Portugal e mudou-se para Huela e em 6 meses começou a operar, a produzir e a vender !

O Nó Gordio da questão está qui !!! E estas razões são escondidas da opinião publica. Da opinião publica é esconndido que as autoridades licenciadoras de projectos industriais , fazem tudo para que nada funcione a mando das hierarquias superiores que actuam a coberto de interesses obscuros de Bruxelas.

Diz a teoria de governação que quando voc~e tem muito desemprego , deve-se apostas no sector primário e secundário que emprega massivamente e não no sector de serviços, como nós fizemos

OGman

patricio branco disse...

A minha percepção é que a alemanha (merckel) gostaria de fazer uma limpeza na zona euro, limitando a moeda talvez aos paises fundadores do mercado comum em 1957, eventualmente mais um ou 2 (finlandia). Em principio, ficaria uma zona euro forte, coesa.
Dada a resistência da grecia e doutros países e o mito que o grupo € não pode sofrer alterações, baixas, talvez a alemanha pense então numa possivel alternativa às avessas, saindo, arrastando França e os outros do grupo fundador, e abandonando o € para os desgraçados em crise, o que vem a dar no mesmo para a rfa.

Anónimo disse...

Recentemente a revista Stern publicou uma Carta Aberta Alemã e a Resposta de um Grego à mesma.
A Carta Alemã acusa os Gregos de serem o povo mais caro per capita da U.E. Na Resposta, um Grego refere entre muitos outros aspectos, que:
- Em troca dos milhões de euros que receberam 'os gregos concederam aos alemães em exclusividade um montão de privilégios, como serem os principais fornecedores do povo grego, de tecnologia, de armas, de infraestruturas (duas auto-estradas, dois aeroportos internacionais), telecomunicações, produtos de consumo, automóveis, etc.'
- Para o desastre grego 'contribuiram muito algumas empresas alemãs, que pagaram enormes comissões aos políticos para terem contratos, para venderem aos gregos de tudo'. Na Grécia laboram 130 empresas alemãs.
- Enquanto a Bulgária e a Jugoslávia saldaram a sua dívida para com a Grécia 'uma dívida de 80
milhões de marcos por indemmnizações da 1ª Guerra Mundial' ficou por pagar pelos alemães.
A Resposta termina exigindo as obras que lhes foram roubadas
-'Queremos de volta as imortais obras dos nossos antepassados, que estão guardadas nos museus de Berlim, de Munique, paris, Roma, Londres'.

Anónimo disse...

Recentemente a revista Stern publicou uma Carta Aberta Alemã e a Resposta à mesma, de um Grego.
A Carta Aberta acusa os gregos de serem o povo da UE que fica mais caro per capita.
Entre muitos outros aspectos a Resposta refere que:
- Em troca dos milhões de euros que lhes foram atribuídos 'os gregos concederam um montão de privilégios aos alemães, para serem os seus principais fornecedores de tecnologia, armas,infraestruturas, telecomunicações, produtos de consumo, automóveis, etc.
- Para o desastre grego 'contribuiram muito algumas empresas alemãs (130 na Grécia)que pagaram aos políticos enormes comissões, para terem contratos e venderem de tudo'
- Enquanto outros países saldaram a sua dívida para com a Grécia, de indemnizações da I Guerra Mundial 'uma dívida de 80 milhões de marcos alemães ficou por pagar'
- A Resposta exige as obras que foram roubadas aos gregos 'Queremos de volta as obras imortais dos nossos antepassados que estão guardadas nos museus de Berlim, Munique, Paris, Roma, Londres'

Ideias Lebres

Anónimo disse...

Cara Helena
Obrigada pelo seu abraço. Peço desculpa. Nem eu mesma esperava que o desabafo tivesse tamanha dimensão. Aquilo que eu não conseguia verbalizar saiu-me naquele rompante. Mas já andava a marinar há meses, cá escondido no peito, até me fazer perder a razão. No entanto, acho que me lavou alma. Tem razão. Não posso abandonar o meu filho.
Mas a revolta é grande demais. Eu não estou assim, apenas pelo que me acontece. Eu não consigo aceitar o que fizeram ao meu país e à minha gente. O trabalho de duas ou três gerações foi deitado ao lixo. E o que espera às futuras gerações será a mesma frustração. Dói-me a alma quando penso que temos crianças que só têm uma refeição quente por dia, a que tomam na escola, quando vejo os nossos licenciados e cientistas a fugir daqui, os nossos pescadores e agricultores em casa a receber subsídios para não produzir, governos que sistematicamente não fazem nada para acabar com esta maldita corrupção, que nos impede de crescer.
À anónima das 18.28, lhe digo que estive mais junta de vocês e a lutar com vocês do que imagina. Havia de me ver em combate. Um dia, quando ainda tinha forças, o Sr. Pinto de Sousa tomou uma medida que me ficou atravessada, para juntar às outras todas já desastrosas. Entrei-lhe pelo Gabinete “carago”. De modo apropriado, disse-lhe tudo o que nunca ouviu na vida dele. Tendo em conta a estirpe, deve ter roído a sola dos sapatos de raiva. Acabou por lhe acontecer tudo aquilo que eu previ. Ainda hoje pensamos que foi estudar filosofia por causa de uma coisa que lhe disse. Não lhe vale de nada. Espiritualmente, tem um longo, longo caminho a percorrer. E não me arrependo. Se me voltam as forças, faço o mesmo a este.
O cerne da questão está aqui. Eu queria combater aqui. Não queria ir combater para outro país como fez a Mar. Mas vejo tudo tão manso, tão quieto e o que aí vem é tão mau…
Mas o meu tsunami, ficou mais pequeno! Esta coisa dos blogues é maravilhosa. Podemos dizer coisas que não podemos e “encontrar” pessoas assim. Obrigada.

Raúl Mesquita disse...

Cara Helena:

É a si que devo, naturalmente, dirigir-me, e é a si que devo pedir licença para falar à Anónima, que se tornou na mais Nómima dos últimos tempos, aqui, no seu fantástico Blog!

Anónima das 18:48, como a Helena lhe chamou, sendo a única referência possível, a sua escrita é comovente, mas muito segura. Desculpe, mas longe de ser insensível, vou parecê-lo. A mim, leitor, deixou-me, desde o princípio, um sabor de dúvida no palato. Verdade? Exercício a bem da Nação? Se erro e magoo, queira desculpar a minha frieza intelectual. Farei o que puder para aliviar a sua dor. E começo já. Não digo para agarrar o primeiro trabalho a €500 (se calhar nem esses já existem), não digo que tem um dever para com o seu filho porque V. sabe melhor do que todos nós; não digo para não se deitar na linha de comboio porque não é pessoa para isso. Não precisa de caridade nem de consolo. Revolte-se. É verdade, estes Blogs (este em especial) dão-nos a possibilidade de comunicar por palavras e de transmitir sentimentos. Revolte-se. Fale com as pessoa ao pé de si, as que são menos íntimas, mostre-lhes a injustiça que corre no Mundo e , em especial, aqui (que é o que nos interessa, neste momento), mostre a sua revolta, mas não como uma revolta individual. Mostre que, como diz, é a de uma geração… e seja determinada. Eu sou mais velho. Disse sempre "hei-de conseguir!" Dá trabalho. Já passei por longas noites muito escuras, mas estou aqui… e luto pelo humanismo!

Felicidades!

Raúl Mesquita

Anónimo disse...

:-) sou a anónima do "carago" eheh..

Ai que bom ver-lhe os pelos na venta! Isso mesmo...que tanto engolir também sufoca...

Sempre com força!

Anónima, a ingénua.