sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Não é que falaram todos?!


Eu já não consigo entender os políticos quando fala um de cada vez. Tudo porque cada um que abre a boca, desdiz o que o último a falar havia dito.
Mas, se por um azar inesperado, falam todos no mesmo dia, acredito que haja quem duvide da sua própria sanidade mental.
Ontem foi um desastre. Não sei se falaram todos ao mesmo tempo. Nem me interessa. A televisão transmitiu tudo no mesmo dia. E já não bastava a maioria de nós não ter conseguido compreender a intenção do discurso do Presidente da República na abertura do Congresso da Ordem dos Economistas - já nem falo do conteúdo - mas ainda ouvimos Manuela Ferreira Leite - que costuma ter razão antes de tempo - Pires de Lima empresário, Francisco Van-Zeller, Presidente do Conselho pela Promoção da Internacionalização, Durão Barroso e...milagre dos milagres, também arcámos com Teixeira dos Santos. Este último, que eu julgava ter fugido para um continente distante onde, com o seu antigo colega Manuel Pinho, andasse a ensinar aos nativos o milagre económico português...
Foi demais. Fiquei com as minhas defesas tão afectadas que hoje acordei com uma fortíssima gripe, apesar de já ter levado a vacina. A qual, quem sabe, com a crise, é capaz até de já ter os efeitos reduzidos.
Será possível que um desgraçada portuga como eu, que não faz mal a uma mosca e se farta de trabalhar, seja ao fim do do dia, submetida a uma tal tortura, no único tempo que tem para descansar? Não fora a entrevista dada por Silva Lopes, na véspera, e eu estaria certamente incapaz de escrever este post.
Mas o que me preocupa é "o depois", quando tudo se clarificar na minha cabeça, porque duvido muito do que me possa ter acontecido...

HSC

14 comentários:

voz a 0 db disse...

"hoje acordei com uma fortíssima gripe, apesar de já ter levado a vacina" eheheh...

A Helena é zombie?

"Sign #1: If you routinely take flu shot vaccines and then wonder why you still catch the flu every winter, you might be a zombie

Annual flu shots are "medicines for the mindless." Even according to the medical scientists who are pro-vaccine, flu shots simply don't work on 99 out of 100 people. So if you find yourself standing in line at the pharmacy waiting to get a flu shot, think to yourself, "Whoa! I might be a zombie!"
Se quiser ler mais veja aqui

quanto ao resto da mensagem nem comento pois falar de políticos é perda de tempo.

Anónimo disse...

Helena,

A cabeça é a parte do corpo mais complicada de entender: Por fora até se compreende bem., mas o pior é por dentro !!!

Há coisas que por fora parecem uma coisa e por dentro, são outra !!
Há um proverbio que diz que é como a melancia ! Só partindo é que se vê se é boa !

Os politicos são a mesma coisa! Por fora, falam bem , têm postura , andam sempre bem acompanhados! Uns até conseguem ter charme!!!
Por dentro : Aquilo é uma confusão !!!

Nas vacinas, passa-se a mesma coisa! Por fora , aquilo é um espectáculo! Cura tudo !!!
Por dentro, está cheia de veneno que destrói o corpo e enriquece as farmaceuticas, médicos e paramédicos!

Visão é ver por dentro e por fora e isso vamos melhorando com o tempo ! A vista que só vê por fora , vai piorando com o tempo !

No fundo o tempo explica tudo , mas leva tempo !

Uma abraço para si e não tome mais vacina nenhuma! Opte por comer comida fresca: Laranjas do ALgarve;, Pêra Rocha ; maças , vegetais de odemira crus .
Melhora a sua saúde e não contribui para o déficite. O preço que o Estado paga por cada vacina , dá para comprar muitas caixas de frutas e vegetais made in Portugal , enquanto a vacina vem dos laboratórios Anglo_Americo_Suiços !!

Um abraço
do
ogam

Fada do bosque disse...

Resumindo... com esta claque de comentadores... a coisa piorou...
Ponha-se boa depressa! :)

Anónimo disse...

Cara Helena,

Hoje, só vou deixar este pequeno poema que um amigo me enviou por e-mail:

Amanhã fico triste,
Amanhã!
Hoje não!
Hoje fico alegre.
E todos os dias por mais amargos que sejam
Eu digo:
Amanhã fico triste,
Hoje não!

Poema encontrado na parede de um dos dormitórios de crianças do campo de extermínio nazi de Auschwitz

Amanhã fico triste,
Hoje não! Como dizia a minha avó "Tristezas não pagam dívidas"... Nunca esta frase foi tão verdadeira!

Isabel BP

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara isabel BP
Eu até preciso de estar sempre contente, porque o Skype com que falo com os meus netos não me permite tristezas. Para eles - e creio bem que até para os meus filhos -, eu sou imortal.
Há bocado, um deles dizia-me que eu estava melhor que ontem! E eu hoje nem posso com um gato pelo fundo das costas...

Helena Sacadura Cabral disse...

Ah! Só uma explicação: tomo a vacina porque tenho duas válvulas cardíacas avariadas. E infelizmente ou não, paguei-a por inteiro.
Mas essa é outra "estória" de que talvez um dia fale!

Fada do bosque disse...

O Ogam esqueceu-se do mel... mas isso a Drª Helena sabe. :)
O meu médico de família diz que tomar uma vacina é correr um sério risco e não a receita a ninguém, muito menos a pessoas com fragilidades físicas, idosos e crianças. Afirma a pés juntos que uma vacina só deve ser dada se a pessoa estiver de plena saúde e que dantes era assim. Não entende porque mudaram as coisas, para as darem a pessoas com debilidades físicas pois é contraproducente.
Aí dá que pensar! Recusa simplesmente receitar... felizmente também nunca tive gripe.
É caso para dizer que as pragas são resistentes... :)) Mas conheço pessoas que já se deram muito mal com a vacina. Se puder leia o que está no blogue do dr. Octopus no link que enviei... vai de encontro ao que diz o meu médico. Ficamos a saber que ainda há pessoas do meio que não têm medo de dizer a verdade.

Pôr do Sol disse...

Cara Helena,
Do pouco que vi tv ontem fiquei,uma vez mais, decepcionada com o PR deste País.

Com frases muito comovedoras tipo"a suspensão dos subsidios de Natal e Férias é uma violação". Pensei, óptimo, vai vetar!

Pensando melhor, lembrei-me de outras declarações e depois do Natal e de muitos mais comerciantes fecharem portas ele dirá ..."eu avisei".

Mas agora o que interessa são as suas rápidas melhoras. Descanse, Abafe-se, avinhe-se e abife-se.

aNaTureza disse...

Cara Helena,

desejo-lhe uma óptima e breve recuperação!
Houve por aí uns comentários que me fizeram rir... ;)

Anónimo disse...

Cara Helena,

A minha mãe também toma a vacina por causa de uma válvula cardíaca avariada... e sinto o mesmo que os seus "infantes" - a minha MÃE é imortal :)

Isabel BP

voz a 0 db disse...

E de que lhe vale tomar uma vacina contra a gripe se continua a apanhar a gripe?

Fátima disse...

Podes estar desanimada mas o texto tem um toque que me fez (sor)rir. Divertido, apesar de entender o que sente... Bom fim de semana!!! AEfetivamente

Fada do bosque disse...

Quanto ao texto, que realmente se torna interessante com esta conjuntura... estamos perante uma desinformação completa, uma forma de aturdir as massas, enquanto o que se está a passar nos bastidores não é mais do que a forma malévola para escravizar as pessoas que entretanto são aturdidas pela TV e seus actores, enquanto estes senhores à sucapa vão dando ordens ao poder político. As pessoas estão dentro de uma conspiração na qual ou não acreditam... ou pior... não sabem, não deixando espaço para pensar "fora da caixa" como diz e bem o Ogam.. Será este o nosso futuro, ou pior, o das gerações futuras que não nos irão perdoar! O nazismo, um dia mais tarde e comparado com o neoliberalismo, será um mal menor. Que falta faz a URSS, para equilíbrio de poder. O Mundo tem de ser bipolar e sssim chego também à conclusão, que o neoliberalismo superará o comunismo em atentados contra a Humanidade e contra a Natureza que tanto criticamos nos regimes totalitários do séc XX. Afinal o "imperador" do séc. XXI já tem licença para matar. À semelhança dos EUA, iremos sofrer um golpe de Estado em massa... em 17 Países da Europa.
Acho um dever cívico e de cidadania divulgar o que está a acontecer e que ficará concretizado ainda este ano:

"MEE, um golpe de estado em 17 países"
Como mencionado no artigo anterior sobre este assunto, "MEE, o novo ditador europeu" , os ministros das Finanças dos 17 países do euro assinaram um tratado para o estabelecimento do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE). O seu objectivo é fazer com que os cidadãos europeus paguem as centenas de milhares de milhões de euros dispendidos com "acções de socorro" para salvar o euro e estrangular qualquer possibilidade de intervenção dos parlamentos.

Bruxelas, aparentemente, não quer que os cidadãos tomem conhecimento do conteúdo deste tratado. Até o dia da redacção deste artigo, não pude encontrar senão uma única versão em inglês na Internet (mas 96,5% da população da zona euro fala outras línguas!)(...)

(...)Se por golpe de estado entendermos a tomada do poder real e a limitação do poder do Parlamento nacional democraticamente eleito, então o tratado do MEE é um golpe de estado nos 17 países simultaneamente.
Isto está inteiramente de acordo com a filosofia da Comissão Europeia. Segundo o seu presidente Barroso, deve ser o governo económico da União Europeia, que deve definir as acções que os governos nacionais devem executar . (28/Set/11) [1]
O tratado do MEE diz, no seu artigo 8, que este órgão disporá de um capital social de 700 mil milhões de euros. A seguir, no seu artigo 19, precisa-se que o Conselho dos Governadores pode decidir mudar este montante e, em consequência, adaptar o artigo 8. No artigo 9 é dito que o Conselho dos Governadores pode exigir a qualquer momento a entrega do capital social ainda não pago (e isto em menos de 7 dias). De facto, diz-se que o MEE pode exigir dinheiro dos países membros de modo ilimitado. O tratado não prevê direito de veto para os Parlamentos nacionais.(...)

Unânime

Segundo o artigo 5.6 o Conselho dos Governadores deve tomar as decisões acima por unanimidade. Todo o Conselho deve portanto votar "a favor"(...).

Artigo completo para quem se interessar aqui, com vídeo em alemão, mas legendado em português. Os que pensam que nada têm a perder que se desenganem... excepto os do poder económico, perderemos todos como acontece também com o criminoso Tratado de Lisboa.

Margarida disse...

...conte a história da vacina, conte...

(e as melhoras, rápidas!)

Abreijos