quarta-feira, 8 de junho de 2011

O caminho do PS



O país precisa de um PS forte. Já o aqui o disse e repito-o. Neste momento existem dois candidatos. Tenho por Francisco Assis um grande respeito, mesmo sabendo que sendo o chefe do grupo parlamentar tinha de ser uma correia de transmissão do ainda Secretário Geral e Primeiro Ministro.
Mas a coragem demonstrada em Felgueiras e a visibilidade que lhe deu a Assembleia, permitiu aos mais atentos descortinarem a "pessoa" para além do deputado.
Conheço menos bem Seguro. Mas uma boa parte da sua vida passou-a a fazer política, o que não deixa de ser importante.
De ambos tenho a ideia de serem gente séria. Mas, como não tenho filiação partidária, estou à vontade para dizer que talvez Assis seja um osso mais duro de roer na oposição. E a oposição quer-se dura. E eficaz. Por isso se fosse filiada saberia a quem meste momento daria o voto. Mas nada garante que não apareçam mais candidatos...

HSC

9 comentários:

Luís Santos disse...

Como apoiante do actual governo, creio que Assis é sem dúvida quem poderá dar mais "trabalho" ao governo. Uma pessoa que sempre demonstrou uma atitude de respeito nos diversos debates em que participou, que soube criticar por diversas vezes o próprio partido socialista. Um Socialista com valor...

Catarina Coutinho disse...

Não sou do PS (nem militante, nem simpatizante), espero sinceramente que seja o Francisco Assis o próximo Secretário Geral do PS. Como pessoa é excelente, além de conhecido é também um amarantino de gema.

Vitor Nunes disse...

Acho que Seguro será a Lebre, enquanto o PSD tem um Coelho.O que é surpreendente é que brevemente os dois maiores partidos tenham como lideres dois Jotinhas.A democracia está a produzir poucos politicos de qualidade.

rosaamarela disse...

Embora concordando absolutamente consigo, mas não será o Seguro mais seguro no sentido de que a sua imagem está menos gasta e estamos desesperadamente a precisar de alguém menos “queimado” digamos assim…

Parece-me um homem dedicado ao Partido e aos ideais do mesmo.

BfdS

Fada do bosque disse...

Enquanto este exemplo não for seguido em Portugal, bem podem andar à espera de um bom líder para o PS... nunca mais o encontrarão. Este PS descaracterizou-se completamente. É um Partido que poderá ser tudo, menos socialista. É um ninho de vespas.
O PS não apenas se descaracterizou como está amarrado ao memorando assinado e à pressão do aparelho e dos boys. Estes quererão um PS que não entre em ruptura com o novo poder. Será a forma de poderem almejar não serem apeados dos postos e lugares ocupados. Muitos farão jogo duplo, outros mudarão de cor esperando contrapartidas desse favor. A vida dessa gente é a de acompanhar a voz do dono...
Lamento profundamente, porque a esquerda precisava de um PS forte e do lado dos trabalhadores.
Já reparou que Sócrates, P. Passos Coelho e Portas foram todos "formados" na JSD?

Fada do bosque disse...

As palavras do dr. Garcia Pereira:
«De igual modo não é verdade que “a esquerda tenha perdido estas eleições”. Desde logo porque o PS não é de esquerda mas de direita e, aliás, foi exactamente por isso que foi tão humilhantemente derrotado. E ademais, o que é hoje claro, é que, com essa derrota humilhante de Sócrates e a solidariedade e apoio que lhe foram prestados pela denominada “ala esquerda” do PS (em vez de se ter reclamado como vencedora na noite eleitoral por a política direita de Sócrates ter sido veementemente condenada nas urnas), o que muito provavelmente se verificará agora não é qualquer viragem à esquerda do PS, mas sim uma sua viragem ainda mais à direita. Aliás o ex-Ministro dos Negócios Estrangeiros Luís Amado, muito significativamente, falou já na necessidade dum “choque liberal” no PS…»

Faty disse...

Não sou do PS. Mas prefiro António José Seguro como pessoa, de longe. Francisco Assis pode ser excelente (na oratória muitos são e isso não é sinónimo de excelência nem qualidade) mas não é a ideia que me passa - acho-o gélido, cassete e lambe-botas, e peço desculpa por alguma agressividade que estes epítetos possam conter, não é essa a intenção, de todo. A mim irritar-me-ia um Francisco assim a mandar em mim, já Seguro é mais sereno e com melhor alma. Se o primeiro funciona melhor na oposição não sei, mas pessoas mecânicas, que debitam certezas sem hesitações, pausas ou nuances, fazem-me mesmo muita impressão. Aefectivamente

O Eleitorado Morre Mas Não Se Rende disse...

bom eu cá nã conheço nenhum

um PS forte é um PS que s'abespinha de ser opósissão e s'alavanka pró poder em guerrilhas mil

precisávamos mais de um governo forte
e de partidos fracos

infelizmente tal num há

Anónimo disse...

Considero os dois politicamente correctos e honestos, mas, na minha opinião (e não sendo do PS), considero que o Francisco Assis está mais por dentro dos assuntos para fazer uma oposição clara e objectiva.

Isabel BP