sexta-feira, 17 de junho de 2011

Copianços...


Portugal tornou-se um país original. Onde uns se regulam pela lei ordinária e outros por leis feitas à medida. Se não, vejamos.
O Centro de Estudos Judiciais - CEJ - instituição de ensino onde se formam os licenciados em Direito que pretendam seguir a Magistratura Judicil ou a do Ministério Público, resolveu tomar, através da sua direcção, uma decisão curiosa e única.
Uma das suas turmas de formandos, no teste de Investigação Criminal e Gestão de Inquérito, foi suspeita de ter cometido o chamado copianço geral.
Face às fundamentadas suspeitas, e seguindo o que se determina para casos idênticos no ensino secundário e superior, o que se esperava era que a prova fosse anulada. Pois bem, não foi esse o entendimento. Os futuros magistrados, ao contrário, foram beneficiados com um 10 de classificação. Porquê? Porque ...não houve flagrante delito e o pecadilho só foi detectado à posteriori.
Estaremos, portanto, nas mãos de juízes e procuradores para quem o copianço parece ser um comportamento normal. Que, por sua vez, irão julgar os nossos comportamentos. No mínimo edificante e aterrador.
E, já agora, alguem me esclarece o que iremos nós, professores, dizer aos adolescentes ou jovens a quem punirmos se copiarem?!

HSC

9 comentários:

immortal disse...

eu travo uma batalha para passar essa mensagem aos meus catraios na escola a cada teste que fazem...ainda hoje lhes fiz ver que podem copiar coisas erradas, esperei por uma resposta referente ao caso, mas essa questão não devia ter sido discutida em casa...

Naná disse...

HSC, acho isto vergonhoso... mas principalmente porque é apenas mais um espelho daquilo que a nossa sociedade se tem vindo a tornar, desprovida de valores e ética!
Acho que muito mais do que anular a prova, as pessoas em causa deviam ser afastadas e ser-lhes barrada a hipótese de se candidatarem a provas deste género durante 1 ou 2 anos, como medida punitiva.
Sempre fui avessa a copianços e nas duas ocasiões que colegas meus de escola roubaram e copiaram/levaram testes e exames resolvidos, eu fui apanhada na curva também... mesmo sem nem sequer ter tido acesso ao teste. Fui injustamente penalizada em ambas as ocasiões por, à custa do esforço e de horas de estudo, ter dado as mesmas respostas que os cábulas deram...

Fada do bosque disse...

... É no que dá a protecção corportiva. Estamos pura e simplesmente entregues à bicharada. Se os governantes não se debruçam sobre o problema mais grave em Portugal, a Justiça, nunca este País saírá do terceiro mundo. Só é compreensível que o não façam, se forem "alvos" da própria Justiça com J maiúsculo e então, estará tudo dito.

Tanita disse...

É mesmo incrível esta atitude. 10? quando o meu filho copiar (espero que nunca o faça) no mínimo quero que tenha 10.
Bom fim-de-semana**

Faty disse...

Ainda ontem dei 0 a um aluno porque copiou o trabalho escrito de um colega. Baixou-lhe a nota final em dois valores e esse é o principio. Estamos mal, muito mal na Justiça, também neste caso. Que exemplo de civismo, honestidade, rigor, ética está-se assim a passar? Promove-se desta forma a desonestidade e a mediocridade...Aefectivamente

Pôr do Sol disse...

Cara Helena,
Pode imaginar a revolta e decepção com que fiquei(como certamente todos que a ouviram) quando ontem acordei com essa noticia. Mais! Com a justificação de que em todos os exames se copia e por falta de tempo para repetir o exame, dá-se nota positiva a todos!
Este senhor devia ser despedido imediatamente.
E que tal se se punisse com um ano de serviço cívico todos estes meninos que se propõem decidir pela justiça, moral e bons costumes a vida de tanta gente, usando desde já a fraude? Dar-lhes-ía maturidade e consciência de justiça, que parece ser o que lhes falta.
Felizmente a indignação de muitos fez retroceder a decisão. Aguardemos.

blimunda disse...

casa de ferreiro, espeto de pau! já nada me surpreende neste país... e podem sempre alegar estar a experienciar o delito para melhor ajuizar dele :)
( a cereja no topo deste bolo podre são os que lhes deram o dez, a bem ver... esses são burros velhos e manhosos...)

Anónimo disse...

Ontem, fiz um "testamento" a desencar neste triste caso, mas quando estava a submeter o comentário enganei-me, cliquei em "conta Google" e foi-se...

Esta "malta" são meros oportunistas, sem regras nem pudor e é à conta de gentalha desonesta como eles que o país e, principalmente, a justiça chegou ao estado em que está - pura INJUSTIÇA.

Também não são melhores os dirigentes destas instituições que deviam ser exemplares na aplicação da respectiva punição. No entanto, possivelmente, também lá entraram, não por mérito, mas à custa do copianço ou da cunha (daí a benevolência da "passagem administrativa" com 10 valores).

Num país com regras, esta gentelha com pretensões a integrar este tipo de instituições eram severamente punidos e sem possibilidade de acesso futuro às mesmas.

Já não basta há tempos, o caso da juíza que assistiu ao assassinato do pai da filha pelo seu próprio pai e fugiu de imediato do local...

A verdade é que os interesses corporativos nunca mais deixarão que se soubesse o que quer que fosse sobre o desfecho desse lamentável caso que custou uma vida a um homem de 30 e tal anos. Quanto à dita "senhora" juíza deve estar a punir com mão pesada, em casos bem menos graves que o do seu pai.

Temos muito que crescer e mudar mentalidades porque com casos destes não vamos mesmo lá.

Isabel BP

Becas disse...

Muito sinceramente o maior problema está na decisão de aplicar nota 10! sempre se copiou sempre se irá copiar, mas em lado algum se aplica nota 10! Porque não fizeram o que se faz em todas as escolas? O pior ainda é a resposta: porque não havia tempo- sem prejudicar as férias - para tal! Sinceramente...