segunda-feira, 27 de junho de 2011

Afinal sei muito pouco...


Enquanto uns, ao Domingo, assistem a comentários políticos mais ou menos requentados, eu, que pouco ou nada me interesso por eles, vejo o programa da Paula Moura Pinheiro, no qual ou aprendo sempre qualquer coisa ou tenho surpresas que me conduzem ao mesmo.
Ontém cheguei já um pouco atrasada e dei de caras com um homem que sabia o que dizia e me prendeu de imediato a atenção. Olá, disse para comigo mesmo, quem é este "boneco" que não só sabe do que fala - no caso escritores, ensino, educação - como ainda tem um subtilíssimo sentido do humor?
De repente surge o nome: Miguel Tamen, ou antes, Prof. Miguel Tamen. Olhei melhor - porque ouvir melhor seria impossível, já que estava totalmente suspensa do que ele dizia - e, subitamente, fui tomada pela emoção. Estava ali a encantar-me o bébé que eu trouxera ao colo imensas vezes, o filho do meu querido e velho amigo Pedro Tamen.
Fiquei siderada de o não conhecer, já que o trabalho da mulher, Ana, conheço bastante.
Debrucei-me na net para saber coisas dele. Agora já sei um pouco mais.
Aconselho vivamente quem se interesse por coisas de literatura e educação, a ver o referido programa no seu computador, até porque o outro convidado também tinha muito interesse.
Hoje fico por aqui. Dentro de algum tempo voltarei à carga, até porque ele anunciou a criação na Universidade portuguesa de um curso de Estudos Gerais, no qual, para além de um tronco comum de cadeiras, o resto será em sistema americano, ou seja por escolha individual do currículo de interesses.
E eu que, às vezes, ainda julgo que sei alguma coisa...

HSC

9 comentários:

one hundred trillion dollars disse...

para muitos cursos já existe uma base similar alargá-la pode ter vantagens em alguns mas não em todos

Ivone Costa disse...

Realmente, tem toda a razão: é um belo programa e o de ontem foi muitíssimo bom.
Na minha escola há um cartaz "publicitário" do Curso de Estudos Gerais. Hoje dei com uma aluna do 12º ano a olhar. Quando lhe sorri, ela perguntou-me: "É preciso coragem para uma pessoa se meter nisto, não é?"
Disse-lhe que sim, que talvez, fosse preciso coragem, mas, também objectivos." O que é que se pode dizer a uma miúda de 18 anos à beira do não-sei-para-onde-hei-de-ir?

PAL disse...

"... e a cerveja em Portugal é barata!" dizia um dos sessenta americanos que vieram cá conhecer umas coisas sobre a literatura portuguesa. Achei interessante o Pedro Tamen dizer que não se deveria organizar uma biblioteca por países, mas por autores. Ficava uma noite inteira a discutir com eles o porquê...

Mar disse...

Pois daqui, so conheco de ler, Pedro Tamen o poeta. Bem bom um seu livro " O sangue,o vinho e a rosa" (sera que ee mesmo assim o titulo?) Filho de peixe sabe nadar, a criatividade na sua melhor linha.

Helena Sacadura Cabral disse...

Estimada Ivone
Pois eu que sou professora no ensino superior esto muito tentada a ir lá tirar umas cadeiras em matérias que me interessam e de que sinto devia saber mais como filosofia por exemplo.
Vamos ver se sou capaz. Já agora, abuso e peço-lhe, se houver nesse cartaz um número de contacto, que mo indique.

Anónimo disse...

Peço desculpa pela liberdade mas... atrasada, com "S", se faz favor.

Com os melhores cumprimentos,

Catarina Almeida

Helena Sacadura Cabral disse...

Cara Catarina
Por coisas destas é que eu dei o título que dei ao post. Eu penso que sei...mas não sei!
Já escrevi, ao longo da minha vida, esta palavra com z. Ficou!
Obrigada. E não tem que pedir desculpa. Eu gosto de ser corrigida.

Ivone Costa disse...

Doutora, posso verificar-lhe, amanhã na escola, se está lá algum número. Mas, adiantando, fiz-lhe uma pesquisa: se for ao Google e escrever "estudos gerais", ver-se-á remetida para a página da UL com todas as referências e contactos necessários à frequência do respectivo curso.
Creio, no entanto, que os candidatos já detentores de uma habilitação de nível superior, deverão ter um processo de matrículas especial.

Anónimo disse...

Ainda bem que não se ofendeu, eu também sou das que gostam de ser corrigidas mas há pessoas que se aborrecem e por isso pedi desculpa.

Daqui por uns anos será a minha filha a corrigir-me, à conta da nova ortografia. Já agora qual é a sua opinião acerca do novo acordo? Não sei se já escreveu sobre isso, descobri o seu blog há relativamente pouco tempo.

Cumprimentos,

C.A.