quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Já falta pouco!

Depois de andar como uma barata tonta de entrevista para entrevista, de sessões de autógrafos para sessões de autógrafos, terminei ontem, em família, no programa do João Paulo Sacadura, "A livraria Ideal", a conversar sobre os quatro livros que publiquei no último semestre deste ano. Foi algo sereno, tranquilo e acolhedor.
A seguir, fui a correr para o juri da revista Lux que, desde que saíu, criou esta espécie de prémio para quem se destacou nos vários sectores da vida nacional. A discussão correu bem e, de forma democrática, tentámos ser justos.
Hoje é, finalmente, o primeiro dos ultimos dias de Dezembro em que me preparo para desaparecer. O resto da família já saiu. Só falto eu.
No dia 1 de Janeiro acabará este 2010 de má memória...Mas no qual tomei uma decisão: tentar deixar de passar recibos verdes! Nem mais. Este ano trabalhei sete meses para o Estado e cinco para mim. Acabou. É uma violência a tributação do trabalho a que estamos sujeitos.
Vou voltar às explicações aos meninos maus das famílias boas e, quem sabe, a fazer petiscos para fora. Os amigos riem-se. E eu rio-me deles, porque as crises só se vencem com imaginação. E essa, felizmente, não me falta. Logo, vou entrar no velho sistem da troca directa de serviços e fazer frente a esse 2011 que se avizinha desagradável.
A todos os que me lêem um Natal caloroso e uma ceia agradável! E, provavelmente, até para o ano!

HSC

8 comentários:

Margarida disse...

Bom Natal, Milady querida; e para os seus também.
E para todos quantos aqui passem, claro. :)
Festas Felizes.
Tanto quanto possível.

Blondewithaphd disse...

Feliz, feliz Natal!

Gaivota Maria disse...

Um Bom Natal para si e o possível Ano Novo. Parabéns pelas suas publicações. Como escrever não dá neste país estou a oferecer-me à gente nova que emigra para apoio doméstico. Sempre garanto a comida e a paz de países em problemas. Um abraço

Tété disse...

Um Natal de amor, com muita saúde para si, infantes e restante família e que o Novo Ano lhe traga a paz que merece em todas as dimensões.
Grande abraço
Teresa

K disse...

Um óptimo Natal, junto dos que lhe são mais queridos. E que 2011 seja um ano fan-tás-ti-co, completamente o oposto de 2011.
Um beijinho.

António R. disse...

Os que trabalhamos por conta de outrem, passamos quase meio ano a trabalhar para o Estado. E não é por isso que temos serviços públicos bons...basta ver como funciona a Justiça neste país.
Há que usar a imaginação como bem diz para fintar o 2011, já que o nosso governo faz o mesmo para nos arrancar impostos até ao tutano.
Um Santo Natal para si também.

Anónimo disse...

Agradeço
A minha Mãe delirou no silêncio com o Seu livro de cozinha,senti que Ela viajou em todo o Seu tempo de glória a despoletar as melhores sensações de Recuerdos com os prazeres da comunicação única e do salivar da gastronomia,Onde Ela tem o grau académico de Doutora com agregação sem modéstia é catedrática, cada vez que uma folha era folheada cada página frente e verso amada, um semblante de vida partilhada emergia num semblante rejuvenescido pelo estímulo Bom...Sabor e paladar a vida cheia de um amor único iguaria de quem sabe o que é importante daí que muito obrigada por conceber um "Filho" estimulo visual que lhe proporcionou e não era folhear eram caricias a todas Nós(Somos cinco filhas) e ao espírito do meu Pai...Que aliás se rendia a Ela no aroma aspirado do vapor de cada sopa e que agora lhe contextualiza os meios sorrisos amputados dos Dele ...
Por isso retribuo com o mesmo carinho que faz sentir às mulheres...

E concordo Consigo, também me apetecia prevaricar face aos recibos verdes, e assegurar-me que as minhas obrigações sociais que aceito com tranquilidade, revertem a favor da constituição de uma sociedade sem assimetrias gritantes a começar pela fome de alguns para os gastos supérfluos de outros...

Abraço amigo Isabel Seixas

Anónimo disse...

O livro de cozinha também fez parte de algumas das minhas ofertas, até porque as receitas são muito acessíveis... Útil em tempo de crise!

Há uns tempos decidi fazer uma triagem na colecção de receitas, no capítulo da doçaria tudo o levava mais de 10/12 ovos deixou de fazer parte do "álbum" de cozinha cá de casa.

A vida na cidade não dá para ter galinhas! :)

Isabel BP