sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Trabalhar!

O lançamento do meu livro "Mulheres que amaram demais" foi na quarta feira. Fiquei feliz com a forma como decorreu e como o livro foi apresentado. Com efeito, o apresentador, O Dr. Pires de Lima, fez o que eu penso deve ser a sua tarefa. Falou do livro e não da autora, como costuma acontecer.
Estive rodeada de amigos e de pessoas que me apreciam. O que, para mim, é fundamental. Sem família e sem amigos não existo.
O problema surge, por norma, com a catadupa de entrevistas a que uma promoção obriga e nas quais me sinto, sempre, a repetir o que disse na anterior. O pior, contudo, é que como nem sempre os livros são lidos, as perguntas sobre a minha vida familiar tornam-se calistas. E eu reajo manifestamente mal. Torno-me dura e fechada, o que não é o meu estado normal.
Há muito que deixei de dar entrevistas em casa, porque me sinto devassada. Desta vez, em má hora, abri uma excepção porque fui pressionada pela editora. Resultado, veio a minha casa em todo o seu esplendor, como se de uma reportagem de decoração se tratasse.
Fiquei danada, porque tinha sido clara nas condições em que abrira essa excepção. Só fotografavam o local em que estava sentada. O resto seria esbatido, caso fosse apanhado. Nada foi respeitado, o que é paradigmático do modo como se encaram os compromissos. A revista em causa - nem refiro o nome para lhe não fazer publicidade - está banida, para mim, no futuro.
Ontem e ainda hoje estou, claro, de ressaca. Assinei setenta livros e já não tenho vinte anos. E, como sempre acontece, acabei por não estar com os amigos a gozar da sua estima, tanto quanto queria.
Daqui a uma semana sai mais outro livro meu. Este, de cozinha. Um clássico. Um retorno ao receituário tradicional, sem fotografias e com muitas e boas receitas. Um misto de Pantagruel e de Isalita, mas com récipes da minha família. Muito boas.
Passados dez dias sairá ainda outro, que será uma surpresa. A única coisa que revelo é o nome. Chamar-se-á "NÓS DE AMOR"!
Alguém do governo me poderá, alguma vez, dizer que preciso trabalhar, depois de publicar quatro livros num ano?! E, ao mesmo tempo, dar aulas e fazer televisão? Com a idade que tenho? Tomaram eles!

HSC

11 comentários:

Sandro disse...

Helena, vi o seu livro na FNAC mas ainda não o comprei/li... mas estou curioso.

Os meus parabéns por ainda estar no activo, seja a escrever ou a dar aulas...é um exemplo! :)

Deixo-lhe aqui um vídeo da Jane Fonda (72 anos!!!) a promover um dos seus novos Dvds de exercício.

http://www.youtube.com/watch?v=AoimUwRHyGI

São mulheres activas como vocês que mostram que a idade é número!

Anónimo disse...

Estimada Helena,
Não se preocupe. Numa viagem que tive, recentemente, de fazer, lá vi por mero acaso a dita entrevista que refere. Devo dizer-lhe, se me permite e com toda a consideração, foi de longe o melhor que ali, aquela Revista, havia para se ler. E esteve muito bem. Gostei de a ler.
Sucesso naquilo que publica, é o meu sincero desejo.
Seu leitor,
P.Rufino

Ana disse...

...e ainda escrever em dois blogs (pelo menos) os quais têm uma longa lista de seguidores, que faria inveja a qq líder politico :-))
Parabéns, Helena.
Ana

Margarida disse...

Uf..., fiquei exausta só de ler!!
Nem imagino o que seja esse frenesim todo...; não fica com tendinite nem nada? E tantas publicações assim, de enxurrada? Milady a concorrer para o Guinness?!
:)))))
(com essa de não dizer o nome da revista dos ardilosos trapaceiros lá vai fazer-nos folhear todas!)
;)
Ah! E muitos parabéns por essas lições de actividade frenética, produtiva, instrutiva, inventiva, inspiradora e quase a roçar o milagreiro!
É obra!
- não quer concorrer à presidência, não? calçar os tais saltos altos...;)
Bem precisados estamos de "uma boa onda" como a sua!

zeliams disse...

Cara HSC,
esse episódio menos agradável não mancha de modo algum o sucesso dos seus livros, antes pelo contrário.
E a prová-lo está a sua entrevista ao Expresso na qual falou, e bem, das "Mulheres que amaram demais" pessoas e causas, sendo bem visível o seu entusiasmo e a sua energia.
Resta-me pois felicitá-la por este lançamento e pelos outros que em breve surgirão.
Bom trabalho! :)

Anónimo disse...

Oh! Doutora Helena

Parabéns incondicionais.

Agora imagine que a Sra. passa a ser o exemplo de referência para o cálculo de produtividade...
Estamos Feitas!!!

A não Ser

Que nos faculte e prescreva a Verdadeira receita.

Abraço
Isabel Seixas

Helena Sacadura Cabral disse...

A todas/os que me apoiaram aqui o abraço virtual.
Maggie, minha querida, o que me vale é a minha imensa serenidade no meio deste vendaval de compromissos.
À noite, quando medito no que foi o meu dia, agradeço a Deus ter amor, ter saúde, ter trabalho e ter amigos.Mas, sobretudo, amor.
Julgo que estes três pilares são a receita de que a nossa Isabel Seixas fala!

Raúl Mesquita disse...

Parabéns, Helena!

Sabia deste seu livro e do de receitas que vai sair. Lembro-me de ter comentado aqui, há tempos, quando a Helena fez um post sobre o livro de biografias de mulheres célebres e desafiou os seus co-bloguistas, numa espécie de divertido quizz a adivinhar... Cheguei só ontem dos EUA (acabei por arranjar maneira de pôr cedilhas e acentos nos últimos posts que escrevi lá...) e amanhã vou já comprar o livro. E se gosto de biografias... Quanto à revista e à palavra das pessoas, sem comentário - infelizmente!

Eager for the recipes e pelo "Nós de Amor".

Raúl.

Helena Oneto disse...

Difícil dizer mais ou melhor do que aqui já tem sido dito sobre a sua obra literária e o seu percurso profissional. Todos os comentários sao unânimes e todos reconhecemos em si uma mulher extraordinária cuja vida pessoal e pública assume de forma exemplar.
Bem haja Helena!

Julia Macias-Valet disse...

Chère Helena,
Chego depois dos aplausos e dos agradecimentos : (
Força ! E já que estamos no Ano Da Biodiversidade...quantas arvores já plantou ? : )
Receba um ciber-abraço

Helena Sacadura Cabral disse...

Helena e Júlia para as duas o meu abraço. Já plantei uma árvore que cresce a olhos vistos no jardim da SIC! E como já tenho filhos e livros, cumpri todo o ditado...