quarta-feira, 3 de março de 2010

Filhos e enteados...

Duas notícias despertaram, hoje, a minha atenção. Uma refere-se à estratégia da União Europeia até 2020, apresentada esta tarde por Durão Barroso, que simplifica e limita o alcance da defunta Agenda de Lisboa 2000 e obriga Portugal - se quiser acompanhar a média europeia -, não só a retirar do limiar da pobreza cerca de 450 mil pessoas, como a duplicar o número de cidadãos com formação superior e a mais que dobrar o investimento em I&D.
Tudo metas simples e fáceis de alcançar, como se vê. Se não fosse trágico, talvez conseguisse sorrir. Como mais do que trágico é irreal, pergunto a mim própria se o Dr. Durão Barroso ainda se lembra do país onde nasceu.
A outra notícia diz respeito à economia paralela. É que, em consequência da crise, o trabalho não declarado está a crescer a olhos vistos e ninguém parece preocupar-se. Trata-se, como se depreende, de labor que sai totalmente ao controle do governo e acaba por onerar, indirectamente, aquele que é legal.
Num estudo recente da Comissão Europeia no qual se analisam os vários métodos de apuramento da dimensão da economia informal, fica visível que os esforços de Portugal nesta matéria, não terão sido suficientes.
Ou seja, entre nós, são sempre os mesmos a pagar a dita crise. Caso para dizer que, na terrinha, uns são filhos e outros enteados...

HSC


3 comentários:

Fada do Bosque disse...

O Durão é um grande CORRUPTO é daqueles que são manipulados pelos assassinos económicos que vai bem explicado neste link. A Nova Ordem Mundial de Orwell, a escravatura, a fome e a guerra como consequência.
Infelizmente.

Olga Moreira disse...

É completamente irreal, de facto e de uma pobreza de espírito impressionante.

Anónimo disse...

Cara Drª Helena,

Grato pelo comentário anterior sobre o 'desperdicio' de pensões inuteis (menos para quem as recebe...), postado anteriormente.

Sobre este post, apenas o seguine:

Quem pode achar, a sério, que alguma vez nos poderemos equiparar a Alemães, Finlandeses, ou Suecos, em termos de desenvolvimento?

Os povos são mesmo assim, é histórico. Seremos sempre mais atrasados, porque somos menos desenvolvidos.

Em comparação, seremos sempre mais desenvolvios que outros povos.

O problema (dos Portugueses e não só) é que sabemos fazer os diagnósticos, mas amanhã de manhã, quando chegarmos aos nossos empregos, vamos prosseguir com os mesmos maus vicios, logo...