terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

A roda infernal

Ontém, na sequência da quinta feira negra que ficámos a dever ao senhor Almunia, o Presidente da agência de notação Fitch - uma das mais importantes a nível mundial - veio, também ele, insistir na tese do Comissário espanhol ao estabelecer, uma vez mais, o paralelo entre a situação de Portugal e da Espanha, com a da Grécia, contribuindo, assim, para nova deterioração dos indicadores de risco da dívida portuguesa.
O resultado foi, outra vez, imediato. Os CDS - Credit Default Swaps, espécie de seguro contra incumprimentos - sobre as obrigações do tesouro (OT) a cinco anos, atingiram o seu valor mais alto e o prémio pedido pelos investidores para manterem as OT portuguesas a dez anos voltou a subir para valores máximos.
E, apesar de salientar não haver risco de contágio entre os três países, o certo é que considera a situação nacional muito preocupante. Tudo isto está não só a dificultar a obtenção de dinheiro, como a torná-lo cada vez mais caro.
Se a este quadro juntarmos a prevsível subida das taxas de juro pelo Banco Europeu, o quadro começa a tornar-se insuportável. E a permitir avisos, como os de Vítor Constâncio, de que em 2011 é imperiosa uma subida de impostos!

HSC

4 comentários:

Fada do bosque disse...

O Constânciozinho além de ser um mau regulador, deve ser dos que maior salário tem em Portugal. Ora se essa peça está em "linha de espera" para ir para o Banco Central Europeu, porque deita abaixo ainda mais o seu País?! Será isso a condição para os portugueses não eleitos que ocupem cargos na UE? é que realmente parece!
Será para testar até onde vai a paciência dos portugueses? também parece. Quer a Helena ver, que em troca de ser mau regulador lhe ofereceram um bom cargo lá fora?
É que um dos mais poderosos Bilderberg portugueses era um dos maiores accionistas do BPN, se não estou em erro... se calhar promoveu o amiguinho que lhe salvou as coroas!
Desculpe o desabafo, Helena, mas que isto cheira mal, cheira e muito!
Se esse Constânciozinho fosse uma pessoa às direitas, começava por dar o exemplo e aumentar os seus impostos, das variadas pensões ou reformas acumuladas e do seu ordenado. Depois fazia o mesmo aos amigos, Coelho da Mota Engil, Belmiro de Azevado... esses multimilionários todos, que vivem como sanguessugas dos que precisam. Agora tem a lata de vir dizer que é preciso aumentar os impostos?
Esses assim, é que mereciam ter a "cabeça a prémio" ou a cabeça no cepo!
"meia dúzia" de portugueses a assassinar Portugal, autênticos criminosos... mas todos esses têm o mesmo Juíz! estamos feitos!
Isto é bem pior que a Máfia italiana!

Helena Sacadura Cabral disse...

Não acredito que Constâncio tenha dinheiro no BPN porque se isso fosse verdade, a comunicação social não deixava de explorar o filão!

Fada do bosque disse...

Não, não, não... estava a referirr-me ao amigo dele... o temível Balsemão de que todos têm, pelos vistos, medo de falar.
O homem é de um secreismo terrível.
Quem terá mais poder na Europa e sendo português, que o temível Bilderberg da informação? De resto, ou não sendo assim, então não percebo o "salto" de Constâncio...

Anónimo disse...

Boa tarde.
Este blog é uma pausa incrível.
Inteligente para albergar opiniões, livre para falarmos o que tantas vezes ocultamos, e um vicio tão saudável!
Parabéns.
Sabem o que me faz confusão? Mas porque insistem na colagem Portugal/Espanha/Grécia?!
E, permita-me outra pergunta: Onde andou Vitor Constâncio? Até eu diria o que disse o Senhor Doutor Regulador Admninistrador... pois!! os impostos terão que aumentar... e depois?! é assim?!
Helena, por favor continue a dar-nos noticias, estas mesmo imparciais que tanto admiro. Sabe, consigo ainda assim no meio de uma turbulência preocupante fechar os olhitos e ouvir as suas gargalhadas...
Obrigada.

Bom comentário Fada do bosque.
A. Malheiro