segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Eu bem desconfiava...

Não me vacinei contra a gripe A. Fiz a sazonal, a Pneumo 23, e a dos brônquios. Confiei, assim, nos três anjos que me assistem. O cardiologista, o internista e a oftalmologista. Que, felizmente, estiveram de acordo. A partir daí puz-me nas mãos de Deus e da Dra Ana Jorge que, a mim e aos portugueses, indicava um caminho diferente.
Hoje ao almoço quase engasgo. Oiço no noticiário televisivo que foram dispendidos, indevidamente, na Europa, cinco mil milhões de euros com a vacina contra a gripe A.
Quem o afirmava era o responsável pela Comissão de Saúde do Conselho da Europa, que criticava a Organização Mundial de Saúde - a OMS - e a acusava de ter, eventualmente, sido conivente com um negócio que apenas dera lucros às farmacêuticas. Lucros incalculáveis que fizeram desviar para as vacinas, em cada país comprador, fundos cujo destino poderia ter sido mais útil e mais importante. Sobretudo em tempo de crise.
Se tais factos são verdadeiros, a OMS deveria ser fortemente punida. Porque depois disto, a sua honorabilidade enquanto instituição responsável, fica fortemente abalada e já ninguém parece duvidar que, afinal, o que se rumoreava há já bastante tempo, tinha razão de ser...
HSC

9 comentários:

Raúl Mesquita disse...

Cara Helena, " três em um!" A amizade é, hoje em dia, para mim, mais complexa do que o amor. Julgo haver nela mais exigência mas também mais perdão. À medida que avançamos na idade torna-se bem mais importante; às vezes confunde-se com o amor, é raro, mas acontece. É bom falarmos das nossas impressões sobre sentimentos. Obrigado por ter trazido para aqui essa oportunidade. Quanto à vacina da gripe A, nem pó...

Abraço,

Raúl.

P.S. Se quiser espreitar o meu "The Generation Gap is over", está no meu Blog à sua espera.

Anónimo disse...

Cara Helena,

Os humanos no seu melhor...
Haja paciência para tal abalo porque punição nem vê-la...

Descrédito de mais uma das instituições.
ADC

K disse...

Não é de hoje que eu afirmo: toda este barulho em torno da gripe A visa equilibrar as finanças das farmaceuticas. E curiosidade, das curiosidades... "surgiu" na América Central...
Enfim.
Agora, é como diz, será que a OMS será responsabilizada? É que descredibilizada já foi!

Ibel disse...

Sempre pensei assim, mas uma pessoa assusta-se com tanto alarido televisivo.No entanto,fiquei-me também pelas mãos de Deus.

voz a 0 db disse...

Eh Eh... só para rir... nada que já não se soubesse... pelo menos para os que andam com os olhos abertos!!!
Já com a gripe das aves, a palhaçada foi a mesma... mas a manada (leia-se POVO) não aprendeu... e como não aprendeu... toma lá do mesmo... E são sempre os mesmos a receber os biliões... lindo!

GONIO disse...

E eu que sempre considerei que a gripe A era uma treta. Ou uma gripe da televisão.
(no fim de 2009, estive a deitar fora uma série de revistas que fui guardando ao longo dos anos. Numa delas destacava-se a doença que ia eliminar metade da humanidade há alguns anos: a gripe atípica. Não consta que tenha conseguido o efeito.
Já alguém dizia, todas as notícias sobre a minha morte foram manifestamente exageradas...)

Margarida disse...

... :)
Depois, somos cínicos...
Depois, resistimos 'ao bom senso'...
Com estas (e outras) é que se torna crescentemente complexo convencer a minha mãe que tem de tomar a medicação. Por ela não tomava nada. Desconfia dessas pias intenções dos médicos e farmacêuticso com veemência e, assitindo as estes despautérios, dizer o quê?!
Para ela e outros que tais, cada pastilhinha é um ponto para uma viagem aos trópicos e cada colher de xarope, um bilhetinho para uma estância de esqui.
Para a excelentíssima classe médica e a não menos excelentíssima classe farmacêutica.
Quem, como eu, até conhece a realidade da indústria farmacêutica, até se encolhe...
O que pagamos de mordomias e cretinices supera - e muito! - a propalada 'investigação científica' - respeitável, nobre, imprescindível, mas secundarizada no (grande, grande!) bolo global...
Sermos cínicos é pouco.
Cautelosos - nunca demais!
A bem da saúde.

Fada do bosque disse...

Pois é... eu e alguns como eu, caso do caro Voz 0 db, bem que andávamos a tentar alertar nos blogues desde o Verão, pois quem vê de todos os prismas, não tendo falta de memória, não se esquecem que os Estados se vendem aos lobbies, em interesses pessoais de quem governa. Mas só agora passaram a notícia?!
É que no dia 16 de Janeiro, deixei nos comentários do blogue de Carlos Narciso,
http://blogda-se.blogspot.com/2010/01/grippe-fin-de-lepidemie.html "Escrita em Dia", essa notícia aqui:

http://www.wodarg.de/english/3022481.html

Nós as vozes do demónio, que temos a mania de ver fantasmas e vilões no comando... eheheheheheh.

Agora e depois do que já levei de "cima p'ra baixo", gostaria de saber se do Haiti, vai ou não vai saír, uma base americana...

Fada do bosque disse...

A ministra da Saúde, Ana Jorge, estará a negociar em segredo com o laboratório GlaxoSmithline a devolução de parte dos 6 milhões das vacinas encomendadas contra o vírus H1N1, de acordo com a edição desta sexta-feira do semanário 'Sol'.

A ministra terá iniciado as negociações após saber que outros governos europeus estavam a tomar a mesma medida, ou seja, a tentar reduzir a encomenda inicial de vacinas contra a gripe A.Portugal encomendou 6 milhões de vacinas contra o vírus H1N1 ao laboratório GlaxoSmithline com o objectivo de vacinar três milhões de portugueses. Esta medida custou aos cofres do Estado cerca de 45 milhões de euros, de acordo com o 'Sol'.

Até ao momento Portugal recebeu apenas 470 mil doses do lote dos 6 milhões de vacinas encomendadas em Julho.Este ano, países como a França, Alemanha, Holanda, Inglaterra e Espanha começaram a renegociar e a reduzir a entrega de vacinas contra o vírus H1N1.

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=161068