quinta-feira, 26 de novembro de 2009

CSI Lisboa

Declaro já, à partida, que vejo sempre que posso, as séries CSI. A que mais gosto tem um homem gordinho de barba - julgo que se chama Peterson - mas qualquer delas me diverte imenso. É, até, dos raros casos em que ver o médico fazer uma autópsia me não me leva, de imediato, a zarpar para outro canal... É claro que, também eu, tenho destas pequenas debilidades mentais!
A propósito do tema, li hoje nos jornais que a nossa polícia dispõe já, desde Julho, de carros de segurança equipados com leitura automáticas de matrículas, que permitem detectar se os veículos têm ou não seguros actualizados, se têm ou não permissão de circular, se têm ou não ordem de apreensaão, etc. Ou seja, no momento tem-se o retrato legal duma viatura.
Além deste "polícia automático" iremos também passar a ter o "voador" em que os agentes viajarão em ultraleves de onde poderão dar as suas ordens e potentes motorizadas de dois lugares para a perseguição de criminosos. E, finalmente, num verdadeiro enquadramento da série de Miami, foram adquiridas doze carrinhas dotadas de todos os meios necessários para analizar o "local do crime".
Confesso que devo a estas séries uma informação de investigação criminal que antes não possuía. E, mesmo que nem tudo seja real, o que é certo é que a polícia de investigação científica ganhou, entre nós, louros que no passado lhe não reconhecíamos.
Só por isso, já sinto justificada esta minha preferência!

H.S.C

3 comentários:

Paulo Sempre disse...

«iremos também passar a ter o "voador" em que os agentes viajarão em ultraleves de onde poderão dar as suas ordens e potentes motorizadas de dois lugares para a perseguição de criminosos. »

Quais criminosos?
Os que fazem as lei?
Os que aplicam as leis?
Os que "contornam" as leis?
Os que nomeiam os que mandam nos orgãos de polícia criminal?
Os "pobres diabos" que têm povoado as prisões?
Só a "justiça Divina" tem um "venda" no olhar....
Sempre que algum "engaladano" cai nas malhas da justiça logo esta fica em causa. Porque será?

Beijo
PS: gostei de passar por aqui.

Raúl Mesquita disse...

Helena, confesso-lhe que não vejo séries, mas percebo perfeitamente o seu entusiasmo. Lembra-se de como ficávamos maravilhados com os primeiros James Bond? Agora já muitos de nós estamos a ficar " blasés", mas a Helena ainda fica entusiasmada e ainda bem. Olhe, as minhas " histórias de fadas" são as que invento quando saio para a rua e das quais me rio à gargalhada, no meio da rua, isto para não ver o caos da nossa cidade! E se a polícia me vir " lá de cima" a rir sozinho, " bon, ben, tant pis pour eux!"

Raúl Mesquita disse...

Pois é, Paulo, deve ser essa mesma a diferença entre o Homem e Deus! O primeiro quer tudo, o Segundo tem tudo (ou não fora Deus!)