quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Continuam a de...bater


Só voltarei a ver noticiários nacionais quando acabarem os debates eleitorais. Assim, não assisti, felizmente, ao debate Socrates - Louçã. E digo felizmente, porque antevi uma enorme discussão com sobreposição de vozes e alguns excessos. Ora eu tomei em férias a decisão de não me irritar com a política. Nem com a dos meus, nem com a dos outros.
Logo, quando pressinto que vai haver violência verbal, remeto-me à ignorância, que é sempre preferível a uma subida de pressão arterial provocada pela leitura que faço do que os oiço dizer. Contudo, do que depois li na net e jornais, parece que a moderadora, Judite de Sousa, se viu grega para conseguir pôr ordem nas intervenções do Secretário Geral do PS. E, pelas mesmas fontes, terei ficado a perceber que Louçã esteve menos belicoso do que o habitual, o que, a mim, aparece como um verdadeiro milagre de Fátima.
Socrates agarrou, diz-se, a questão da fiscalidade e das consequências que, através do fim das deduções, resultariam para a classe média trabalhadora. O outro não largou a Galp e a protecção dada pelo governo a Jorge Coelho e à empresa onde está colocado.
Daqui, de longe, dei instruções para que gravassem todos os encontros. Se sentir que preciso ver algum fá-lo-ei. Mas, até lá, limito-me a estar ausente. E relaxada!

H.S.C

1 comentário:

papoila disse...

Que pena!
Eu que descobri agora o seu blog, estava toda contente a pensar que teria escrito alguma coisa sobre o debate Sócrates/Ferreira Leite...
Quanto a mim falaram mais do passado do que do futuro!
xx