quarta-feira, 8 de abril de 2009

Páscoa

Por uma qualquer razão que desconheço, a Páscoa tornou-se uma época, digamos, perceptível.
Explico-me. Antes, quando eu era miúda, a efeméride nos meios não católicos era apenas assinalada com um dominical almoço ou jantar familiar, em que se comia um prato tradicional - entre os meus, o cabrito - e se trincavam amendoas.
Entretanto, a Igreja tem vindo a perder fiéis e a Páscoa a ganhar adeptos. A crise instalou-se e as férias da época também. E da festa de Domingo ficou, apenas, uma pálida ideia.
Não há, de facto, como o remanso e o cartão de crédito para os portugueses esquecerem os problemas...

H.S.C

2 comentários:

Marta disse...

«A igreja a perder perder fiéis e a Páscoa a ganhar adeptos»! Lapidar! :)
E eu a segurar-me em memórias da Páscoa que me chegava pelos rituais! Tão esbatidos!

Obrigada. Por mais esta reflexão. Tão certeira!

E boa Páscoa para si.

Margarida Pereira disse...

Do tanto que já foi espiritual, passsndo pelo religioso um tanto desmesurado, passou-se para um novo paganismo.
Deus tem uma real infinita paciência para com esta sua criação...

Páscoa Feliz, Milady! :)