segunda-feira, 20 de abril de 2009

Da amizade

Estou, neste fim de tempo pascal, em mood de partilha. Ontém foi Pitingo. Hoje é Sandor Marai, de quem julgo conhecer quase tudo. Mas de que aprecio particularmente "As velas ardem até ao fim", talvez o melhor romance que li sobre a amizade.
Foi a minha querida amiga Rita Ferro quem nos apresentou, naquela sua imensa capacidade de dividir com os outros tudo o que de bom lhe acontece.
Uma manhã recebi um mail seu a mandar-me comprar o livro. Já! dizia ela. Obediente, fui.
Comecei e não mais parei. Quando o acabei senti uma imensa necessidade de saber mais sobre o autor. Cuja história de vida é, no mínimo, surpreendente. E que termina com o seu suicídio numa idade já bem avançada.
Em seguida fui ver o que por cá havia. Depois, o que não existindo cá, havia lá fora. O resultado foi, como disse atrás, conhecer toda a obra. Aconselho. Vale, mesmo, a pena!

H.S.C

6 comentários:

Margarida Pereira disse...

E pronto..., hoje foi 'O coração das trevas', do Joseph Conrad (sugestão de outrém), amanhã vai ser esse!
Sobre a amizade?!
Deve ser lindoooooooo!
Depois do amor, ele há lá tema mais encantador?
Merci bien, Milady...

Cindy Calista disse...

Ainda há-de explicar-me o que está aquele acento a fazer em Ontém.
Umas liçõezinhas de Português já calhavam...

Mad disse...

Quando o mundo inteiro recomenda um livro, eu desconfio e ponho as minhas expectativas lá no céu. Foi o caso d'A Sombra do Vento; será o caso deste? Lá terei de ler... :)

Ka disse...

Este livro foi dos que li de uma assentada também. E já o reli e julgo que o irei fazer de novo.
Este escritor é fabuloso e fiquei com bastante vontade de conhecer a sua obra. Depois deste li "A mulher Certa" e tenho mais alguns em fila de espera para comprar (acho que o Estado me devia dar um subsídio para me poder cultivar devidademente..hehe). Sem dúvida uma excelente surpresa este escritor.

Um excelente dia!

Helena Sacadura Cabral disse...

Já vi cara Cindy que é uma purista da língua. Só isso mereceria já os meus parabens. De facto, ou como queira, de fato, ainda escrevo muita coisa como aprendi. Mesmo correndo o risco de ser corrigida. Haverá maior alegria do que a de ser lida tão atentamente?

Huckleberry Friend disse...

Vejo que a Cindy Calista falhou a oportunidade para dar resposta óbvia a este último comentário: É parabéns! Como falhou, redondamente, o tom do primeiro comentário, de desmesurada arrogância.

HSC, também adorei o livro. E vi a peça, muito boa, quase um monólogo, em Londres, com Jeremy Irons no protagonista. Recomendo, do mesmo autor, A herança de Eszter e, sim, A mulher certa.