quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

A "contribuição"

Portugal vive de taxas. Umas aceitáveis, outras inexplicáveis. Pelo menos para mentes menos dotadas, como é o caso da minha. Explico-me.
A maioria de nós paga, com a conta de electricidade, uma "contribuição" - o que eu gosto do requinte da expressão, sobretudo se a mesma for obrigatória! - para o áudio visual. Trata-se, esclareceu-me muito educadamente a EDP, de um tributo - também gosto deste termo de duplo significado - que incide sobre o fornecimento de energia eléctrica a que todos os seus comercializadores estão obrigados a cobrar. Exceptuam-se apenas os consumidores abaixo dos 400 Kwh anuais, que estão isentos.
Mais cumpre, aliás, aos referidos fornecedores, informar a DGCI - Direcção Geral dos Impostos e a RTP - Radio Televisão Portuguesa de todas as situações de falta de pagamento da mesma!
Como se vê pela necessidade de informar a DGCI, estamos perante um imposto a que as entidades competentes tratam eufemisticamente de "contribuição". A razão de avisar a RTP, essa é que me delicia. Deve ser para que me possa ser "cortado o fornecimento do seu serviço público"...
Alguém me explica porque é que o canal do Estado, que tem publicidade paga, me cobra um serviço que eu não subscrevi e que pago à Zon Tv Cabo? Será isto livre concorrência? Ou será, antes, a livre incoerência a que andamos todos submetidos?



H.S.C

2 comentários:

num relance disse...

"livre incoerência", livre arbítrio desde que seja fazer pagar...
gostava, por um momento, de inverter o mundo e de ser eu, e mais todos os outros, a receber da RTP, da EDP [juntar aqui a(s) entidade(s) que se queira] uma contribuição, tributo, imposto... por um momento repúnhamos algum equilíbrio na justiça có(s)mica pelo que nos obrigam a aturar :-)

mafegos disse...

Isso tem um nome,que não é politicamente correcto dizer(roubo),muito mais quando é feito por uma empresa de capitais públicos e cujos gestores um dia vão ter a aura de dizer,comigo a EDP deu milhões de lucro,pudera.