sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Nós por cá...

No jornal Destak o Ministério da Economia publica hoje um anúncio de página inteira em que publicita um desconto de 50% sobre o preço de venda de painéis solares.
Telefona-se para o referido Ministério e ninguém sabe onde se deve dirigir o individuo que pretenda usufruir do benefício. Insiste-se, referindo que se o anúncio é oficial, alguém deve saber fornecer a indicação ou então a mesma não deveria ser publicitada. Perante a obstinação de quem pergunta, pausa no telefonema. Minutos depois vem o esclarecimento. O interessado deverá dirigir-se a um banco e estabelecer com ele um contrato. Mas só a partir do dia 2 de Março...
Este é um exemplo típico de como se comunica com o cidadão. Primeiro, anuncia-se a medida como imediata. Depois, informa-se que afinal não é, mas que há-de vir a ser...
Alguém, já, se admira? Julgo que não!

H.S.C

1 comentário:

criativemo-nos disse...

Ansiedade. Afã comunicacional. Alegria antecipada.
Tudo isso se depara com o entupimento dos canais dessa estrutura labiríntica que dá pelo nome de ‘burocracia’.
Mas somos serenos. Compreendemos e esperamos.
Sempre o fizemos.
Exaspera quem sabe mais e espera melhor.
Quem viu outros mundos e sonha mudanças para este.
Quem ‘ainda’ sonha.