quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Lá vai Lisboa...

Um azarado problema com o meu fax levou-me até Cascais numa tarde de chuva miudinha. O que indisporia até o mais otimista. Mas lá resolvi o assunto. Tornei à origem e, a meio, lembrei-me de ir ao Chiado comprar cápsulas de café.
Desci do Marquês até à Rua da Conceição, para subir a Rua Nova do Almada. Chegada lá, eis que não passo dos primeiros lances. Tudo parado.
Saio para indagar se era algum acidente. Preparem-se: não era um acidente. Era, antes, um incidente. Nem mais nem menos do que um carro do lixo a fazer o seu trabalho. Sim, isso mesmo. Leu bem. Um carro de lixo que, às 17h do dia de hoje - o Dr António Costa pode mandar confirmar -, ia parando para recolher os respectivos caixotes... Nem queria acreditar no que via.
Não é possível que isto se passe na capital de um país da UE! Mas passa. E lá ficou a imensa fila de carros a avançar aos soluços, parando sempre que mais um caixote era despejado.
Alguém me explica porque é que se esvazia lixo, num horário destes? Será para não pagar horas nocturnas? Mas então os empregados deste sector não trabalham de noite?
E vamos nós ter eleições autárquicas. Para quê?

H.S.C

1 comentário:

num relance disse...

em Bruxelas o lixo não é recolhido à noite;
a última vez que verifiquei, Bruxelas ainda era a capital da Bélgica, mas como eles por lá não todos bem (soa mal mas era para dar um ar de graça à la "nós por cá todos bem", ao contrário) e volta meia volta ameaçam-se com sismos, e não são dos geográficos mas dos geo-políticos, um dia destes Bruxelas é capaz, talvez, de se reduzir ao seu normal estatuto de região de confluência de conflitos dos locais, e de interesses dos outros mais :-)

tenho que lhe agradecer uma referência que fez à Adília Lopes no programa da Antena 1 com o Pedro Rolo Duarte; ouvia-a e, a falar do Vilhena e do Luiz Pacheco, refere também Adília Lopes; e eu, a ouvir, digo-me "conheço este nome de algum lado"; e fui buscar à memória (que já não é o que era) e lembrei-me, caramba, como é que me tinha deixado esquecer?! até consegui encontrar o "a bela acordada"... foi muito bom tê-a ouvido à conversa lá pela Antena 1 e tão bom ter recuperado a minha memória da Adília Lopes, obrigado!